Homem morre após ganhar US$ 1 milhão na loteria

semSorteUm carpinteiro de 52 anos morreu três semanas após ganhar US$ 1 milhão na loteria em Nova York, nos Estados Unidos, de acordo com o jornal “Independent”.
Donald Savastano tinha recebido recentemente um diagnóstico de câncer em estágio 4. Ele ganhou o prêmio em uma “raspadinha”, que comprou em uma loja na cidade de Sidney, uma pequena comunidade de cerca de 270 km de Nova York.
Ele disse à emissora WBNG que planejava comprar “um novo caminhão, pagar algumas dívidas e investir no futuro”. Na entrevista, ele afirmou: “Isso vai mudar nossa vida para falar a verdade”.
Danielle Scott, que vendeu o bilhete premiado, afirmou que dias depois um amigo de Savastano visitou a loja e contou que ele estava internado muito doente.
Esse amigo contou à vendedora que ele era autônomo e não tinha seguro-saúde. Savastano já não vinha se sentindo bem e quando conseguiu o dinheiro foi ao médico. “O amigo me falou que ele estava muito doente e que ele tinha câncer no cérebro e no pulmão. Ele não achava que o amigo iria conseguir escapar”, disse a vendedora.
Donald Savastano nasceu em Queens e cresceu em Long Island. Ele aprendeu carpintaria trabalhando com o pai quando ainda era criança.
Seu obituário afirma que ele trabalhou para companhias comerciais depois de se mudar para a cidade de Sidney e teve uma carreira de sucesso como autônomo. “Ele era conhecido pelo trabalho de alta qualidade e pelo perfeccionismo. “Ele sempre tentava ajudar e ensinava a melhor maneira de fazer as coisas”, diz o obituário.
G1

semSorteUm carpinteiro de 52 anos morreu três semanas após ganhar US$ 1 milhão na loteria em Nova York, nos Estados Unidos, de acordo com o jornal “Independent”.
Donald Savastano tinha recebido recentemente um diagnóstico de câncer em estágio 4. Ele ganhou o prêmio em uma “raspadinha”, que comprou em uma loja na cidade de Sidney, uma pequena comunidade de cerca de 270 km de Nova York.
Ele disse à emissora WBNG que planejava comprar “um novo caminhão, pagar algumas dívidas e investir no futuro”. Na entrevista, ele afirmou: “Isso vai mudar nossa vida para falar a verdade”.
Danielle Scott, que vendeu o bilhete premiado, afirmou que dias depois um amigo de Savastano visitou a loja e contou que ele estava internado muito doente.
Esse amigo contou à vendedora que ele era autônomo e não tinha seguro-saúde. Savastano já não vinha se sentindo bem e quando conseguiu o dinheiro foi ao médico. “O amigo me falou que ele estava muito doente e que ele tinha câncer no cérebro e no pulmão. Ele não achava que o amigo iria conseguir escapar”, disse a vendedora.
Donald Savastano nasceu em Queens e cresceu em Long Island. Ele aprendeu carpintaria trabalhando com o pai quando ainda era criança.
Seu obituário afirma que ele trabalhou para companhias comerciais depois de se mudar para a cidade de Sidney e teve uma carreira de sucesso como autônomo. “Ele era conhecido pelo trabalho de alta qualidade e pelo perfeccionismo. “Ele sempre tentava ajudar e ensinava a melhor maneira de fazer as coisas”, diz o obituário.
G1