Prefeitura de Campina Grande investiga sorteados irregulares no Aloísio Campos e abre site para denúncias

Os 4,1 mil candidatos que foram sorteados e a serem contemplados com as casas no complexo habitacional Aloísio Campo estão sendo investigados. A ação coordenada pela secretaria de planejamento da prefeitura de Campina Grande visa, evitar que pessoas recebam casas indevidamente. Em menos de 24 horas após sorteio, 12 nomes já foram identificados como suspeitos. A prefeitura abriu uma página na internet para denúncias.
De acordo com o secretário de planejamento da prefeitura de Campina Grande, André Gadelha, os casos são de pessoas que foram sorteadas, mas que já tem ou teve o nome vinculado ao banco de dados do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). Em caso de irregularidades confirmadas, as casas serão repassadas para outras pessoas que ficaram na lista de espera.
“A cada 100 pessoas sorteadas temos mais 30 na lista de espera. Só em uma manhã, identificamos 12 pessoas com nomes vinculados a IPTU. O que vamos apurar é se a pessoa pagou o IPTU como proprietária ou se ela locou o imóvel e pagava o IPTU. Vale destacar que, mesmo que você já tenha vendido o imóvel e não tenha mais casa ela vai ser excluída, pois o ‘Minha Casa Minha Vida’ é para aquele que vai ter o primeiro imóvel”, explicou André Gadelha.
A secretaria disse que as pessoas que foram identificadas com irregularidades terão prazo para defesa. Os cidadãos contemplados pagarão mensalidades que variam de R$ 80 a R$ 275 pelo imóvel. O secretário destacou que os sorteados não precisam se preocupar em procurar bancos para financiamentos, pois este já serão procurados pelo banco após a confirmação do sorteio. “O próprio banco vai procurar”, disse ele.
Site para denunciar
Para aumentar a fiscalização dos sorteados, a secretaria abriu um canal no site da prefeitura para que sejam denunciados casos de pessoas que foram sorteadas e que já possuam ou tenham possuído casa.
Para denunciar clique aqui. A página permite que a pessoa que está denunciado anexe documentos como provas.
G1 PB

Os 4,1 mil candidatos que foram sorteados e a serem contemplados com as casas no complexo habitacional Aloísio Campo estão sendo investigados. A ação coordenada pela secretaria de planejamento da prefeitura de Campina Grande visa, evitar que pessoas recebam casas indevidamente. Em menos de 24 horas após sorteio, 12 nomes já foram identificados como suspeitos. A prefeitura abriu uma página na internet para denúncias.
De acordo com o secretário de planejamento da prefeitura de Campina Grande, André Gadelha, os casos são de pessoas que foram sorteadas, mas que já tem ou teve o nome vinculado ao banco de dados do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). Em caso de irregularidades confirmadas, as casas serão repassadas para outras pessoas que ficaram na lista de espera.
“A cada 100 pessoas sorteadas temos mais 30 na lista de espera. Só em uma manhã, identificamos 12 pessoas com nomes vinculados a IPTU. O que vamos apurar é se a pessoa pagou o IPTU como proprietária ou se ela locou o imóvel e pagava o IPTU. Vale destacar que, mesmo que você já tenha vendido o imóvel e não tenha mais casa ela vai ser excluída, pois o ‘Minha Casa Minha Vida’ é para aquele que vai ter o primeiro imóvel”, explicou André Gadelha.
A secretaria disse que as pessoas que foram identificadas com irregularidades terão prazo para defesa. Os cidadãos contemplados pagarão mensalidades que variam de R$ 80 a R$ 275 pelo imóvel. O secretário destacou que os sorteados não precisam se preocupar em procurar bancos para financiamentos, pois este já serão procurados pelo banco após a confirmação do sorteio. “O próprio banco vai procurar”, disse ele.
Site para denunciar
Para aumentar a fiscalização dos sorteados, a secretaria abriu um canal no site da prefeitura para que sejam denunciados casos de pessoas que foram sorteadas e que já possuam ou tenham possuído casa.
Para denunciar clique aqui. A página permite que a pessoa que está denunciado anexe documentos como provas.
G1 PB