Mesmo com tropas federais nas ruas, novos casos de violência são registrados no Rio neste sábado

Novos casos de violência foram registrados no Rio de janjeiro neste sábado (17). Uma tentativa de assalto terminou em tiroteio na Tijuca, Zona Norte da cidade.
Também na mesma região, um caminhão foi saqueado. Durante a madrugada, bandidos armados explodiram uma agência de banco em Vilar dos Teles, São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Policiais militares perseguiram os criminosos, mas eles escaparam levando o dinheiro.
Durante o dia, foi possível ver a presença de tropas federais em vários pontos do Rio. No entanto, os militares estavam na cidade por conta da presença do presidente Michel Temer, que anunciou a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública depois de participar de uma reunião no Palácio Guanabara.
Também havia uma maior presença de policiais militares – mas isso também não estava relacionado à intervenção. O reforço no policiamento ocorreu pela realização de um grande bloco no Centro.
A rotina de violência tem assustado cada vez mais moradores e turistas
“Esse final de semana, tínhamos 100 pessoas marcadas para visitar o Rio. Agora, são apenas oito. Qual o motivo dessa queda? Violência, arrastão e mortes”, reclamou o guia de turismo, Wilson Marcato.
“É horrível. Vivemos com medo o tempo todo”, lamentou o repositor de mercado, Wagner Francisco de Mendonça
G1

Novos casos de violência foram registrados no Rio de janjeiro neste sábado (17). Uma tentativa de assalto terminou em tiroteio na Tijuca, Zona Norte da cidade.
Também na mesma região, um caminhão foi saqueado. Durante a madrugada, bandidos armados explodiram uma agência de banco em Vilar dos Teles, São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Policiais militares perseguiram os criminosos, mas eles escaparam levando o dinheiro.
Durante o dia, foi possível ver a presença de tropas federais em vários pontos do Rio. No entanto, os militares estavam na cidade por conta da presença do presidente Michel Temer, que anunciou a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública depois de participar de uma reunião no Palácio Guanabara.
Também havia uma maior presença de policiais militares – mas isso também não estava relacionado à intervenção. O reforço no policiamento ocorreu pela realização de um grande bloco no Centro.
A rotina de violência tem assustado cada vez mais moradores e turistas
“Esse final de semana, tínhamos 100 pessoas marcadas para visitar o Rio. Agora, são apenas oito. Qual o motivo dessa queda? Violência, arrastão e mortes”, reclamou o guia de turismo, Wilson Marcato.
“É horrível. Vivemos com medo o tempo todo”, lamentou o repositor de mercado, Wagner Francisco de Mendonça
G1