Homem mata esposa com mais de dez facadas

Um homem foi preso na tarde de domingo (18) suspeito de assassinar sua companheira, Lindalva Silva Martins, com cerca de doze golpes de faca. O crime aconteceu no sítio Caiçara, região rural da cidade Santana dos Garrotes, Sertão da Paraíba.
De acordo com informações da Polícia Militar, o crime foi descoberto depois que o suspeito, ao pegar uma carona, desabafou alegando que não deveria ter assassinado sua esposa. O motorista do carro em que ele estava era filho do proprietário do terreno em que Sebastião Braz Sales vivia com Lindalva, e ligou para seu pai contando o que o suspeito havia dito.
O dono do terreno então foi até o local onde constatou o homicídio. Ainda segundo a PM, o corpo foi encontrado enrolado em um lençol.
Apesar de Sebastião ter fugido, a Polícia foi acionada e conseguiu localizá-lo na cidade de Olho D´água. Ele foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia do Vale do Piancó. O suspeito nega a autoria do crime, e a Polícia agora investiga a motivação do assassinato.
MaisPB

Um homem foi preso na tarde de domingo (18) suspeito de assassinar sua companheira, Lindalva Silva Martins, com cerca de doze golpes de faca. O crime aconteceu no sítio Caiçara, região rural da cidade Santana dos Garrotes, Sertão da Paraíba.
De acordo com informações da Polícia Militar, o crime foi descoberto depois que o suspeito, ao pegar uma carona, desabafou alegando que não deveria ter assassinado sua esposa. O motorista do carro em que ele estava era filho do proprietário do terreno em que Sebastião Braz Sales vivia com Lindalva, e ligou para seu pai contando o que o suspeito havia dito.
O dono do terreno então foi até o local onde constatou o homicídio. Ainda segundo a PM, o corpo foi encontrado enrolado em um lençol.
Apesar de Sebastião ter fugido, a Polícia foi acionada e conseguiu localizá-lo na cidade de Olho D´água. Ele foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia do Vale do Piancó. O suspeito nega a autoria do crime, e a Polícia agora investiga a motivação do assassinato.
MaisPB