PSICOLOGIA AO SEU ALCANCE- Não seja escravo da dieta

A dieta alimentar foi criada para você ser saudável e aproveitar a vida de uma maneira que seu corpo acompanhe o que o emocional deseja. Então a dieta alimentar não pode ser feita de sacrifício, tanto que o objetivo dela não é a seleção dos alimentos que você vai ingerir, mas o tipo de corpo que você deseja ter para viver de forma plena seu estilo de vida. Dessa forma a dieta alimentar vem corrigir distorções na sua alimentação que o impeça de ter o corpo que deseja; é claro que a intervenção são nos alimentos ingeridos. Porém se você focar no objetivo, que é o corpo que almeja ter, o novo cardápio não é encarado como um sacrifício, mas como o meio que o levará ao seu desejo.
Em resumo, é necessário ser coerente com o corpo que quer ter e os alimentos que ingere. Senão entra-se no cenário das histórias de ficção, no conto da carochinha, chame isso como quiser, mas estará no quadro da irrealidade. Da mesma forma quando a pessoa mergulha no processo de emagrecimento através de uma dieta alimentar rigorosa e se transforma no chato da comida. Hello!!! É você que está fazendo a dieta, não os outros. Geralmente nessas situações o silêncio é ouro.
Alguns cuidados precisam ser corrigidos, como a culpa de quando escapa da dieta e acha que jogou todo seu esforço fora. É preciso ter consciência que ninguém engorda porque um dia comeu muito, nem emagrece por num dia comeu salada. A pessoa será o resultado do que faz frequentemente. A culpa só vai atrapalhar, além de deixar a pessoa triste, corre o risco de ingerir muito mais do que iria comer só porque entrou num processo emocional de raiva consigo. E equivocadamente, para se punir, come propositadamente muito. Seja lógico, se você percebeu que numa festa você comeu mais do que devia, reflita e se concluir que foi apenas uma escapada da dieta e que no outro dia vai voltar, então aproveite e vá se divertir, pois vai ser isso que lembrará no futuro. Mas seja coerente, dar uma escapada na dieta é aproveitar para saborear os alimentos, saciar aquela pequena gula e não comer até estourar.
Tenha equilíbrio emocional, pois é importante ter o controle da sua vida em suas mãos, visto que você é a única companhia para si para o resto da vida. Procure ser como você gostaria de ser, faça o que considera correto. Como já falei, seja coerente com você mesmo. E o principal, viva com plenitude.
Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia
VEJA O VÍDEO DO ARTIGO ANTERIOR:

 

A dieta alimentar foi criada para você ser saudável e aproveitar a vida de uma maneira que seu corpo acompanhe o que o emocional deseja. Então a dieta alimentar não pode ser feita de sacrifício, tanto que o objetivo dela não é a seleção dos alimentos que você vai ingerir, mas o tipo de corpo que você deseja ter para viver de forma plena seu estilo de vida. Dessa forma a dieta alimentar vem corrigir distorções na sua alimentação que o impeça de ter o corpo que deseja; é claro que a intervenção são nos alimentos ingeridos. Porém se você focar no objetivo, que é o corpo que almeja ter, o novo cardápio não é encarado como um sacrifício, mas como o meio que o levará ao seu desejo.
Em resumo, é necessário ser coerente com o corpo que quer ter e os alimentos que ingere. Senão entra-se no cenário das histórias de ficção, no conto da carochinha, chame isso como quiser, mas estará no quadro da irrealidade. Da mesma forma quando a pessoa mergulha no processo de emagrecimento através de uma dieta alimentar rigorosa e se transforma no chato da comida. Hello!!! É você que está fazendo a dieta, não os outros. Geralmente nessas situações o silêncio é ouro.
Alguns cuidados precisam ser corrigidos, como a culpa de quando escapa da dieta e acha que jogou todo seu esforço fora. É preciso ter consciência que ninguém engorda porque um dia comeu muito, nem emagrece por num dia comeu salada. A pessoa será o resultado do que faz frequentemente. A culpa só vai atrapalhar, além de deixar a pessoa triste, corre o risco de ingerir muito mais do que iria comer só porque entrou num processo emocional de raiva consigo. E equivocadamente, para se punir, come propositadamente muito. Seja lógico, se você percebeu que numa festa você comeu mais do que devia, reflita e se concluir que foi apenas uma escapada da dieta e que no outro dia vai voltar, então aproveite e vá se divertir, pois vai ser isso que lembrará no futuro. Mas seja coerente, dar uma escapada na dieta é aproveitar para saborear os alimentos, saciar aquela pequena gula e não comer até estourar.
Tenha equilíbrio emocional, pois é importante ter o controle da sua vida em suas mãos, visto que você é a única companhia para si para o resto da vida. Procure ser como você gostaria de ser, faça o que considera correto. Como já falei, seja coerente com você mesmo. E o principal, viva com plenitude.
Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia
VEJA O VÍDEO DO ARTIGO ANTERIOR: