Homem mata esposa a facadas por não aceitar fim do casamento

Uma mulher foi morta a facadas pelo marido na manhã desta quarta-feira (28) na cidade de São João do Cariri, no Cariri paraibano. Logo após assassinar a esposa, o suspeito, conhecido como “Cardozim”, tirou a própria vida.
O delegado seccional em Monteiro, João Joaldo, explicou que a vítima, Maria José, trabalhava no Fórum da cidade. Os funcionários do local acionaram a polícia quando perceberam que ela estava atrasada e não atendia aos telefonemas, o que não era comum acontecer.
Os servidores foram até a casa da vítima junto com a polícia. Ao chegarem, chamaram Maria José, mas não tiveram respostas. Ao notarem que a televisão estava ligada, continuaram a tentar o contato, até que o policial entrou na residência.
Segundo o delegado, o cenário na casa era de que tinha acontecido uma luta corporal: a sala estava completamente desarrumada e havia fios de cabelo da vítima pelo chão. O corpo de Maria José estava entre dois cômodos, com marcas de facada no pescoço e em diversas partes do corpo.
O marido estava com ferimentos de faca no pulso, o que segundo o delegado, pode indicar suicídio. A faca usada foi de modelo peixeira. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Sam) ainda foi acionado, mas ambos já estavam sem vida.
O delegado conta que apesar de ainda morar na mesma casa, o casal passava pelo processo de separação, mas o suspeito não aceitava o fim do relacionamento. Ele acredita que o suspeito já fazia ameaças à vítima, apesar de não haver registros.
O casal tinha quatro filhos, todos maiores de idade. A polícia acredita que Maria José tinha feito caminhada pela manhã e foi morta quando retornou, já que era uma prática comum e a roupa que ela usava no momento em que foi morta indica isso. A perícia foi acionada e o caso será investigado pela Polícia Civil.
MaisPB

Uma mulher foi morta a facadas pelo marido na manhã desta quarta-feira (28) na cidade de São João do Cariri, no Cariri paraibano. Logo após assassinar a esposa, o suspeito, conhecido como “Cardozim”, tirou a própria vida.
O delegado seccional em Monteiro, João Joaldo, explicou que a vítima, Maria José, trabalhava no Fórum da cidade. Os funcionários do local acionaram a polícia quando perceberam que ela estava atrasada e não atendia aos telefonemas, o que não era comum acontecer.
Os servidores foram até a casa da vítima junto com a polícia. Ao chegarem, chamaram Maria José, mas não tiveram respostas. Ao notarem que a televisão estava ligada, continuaram a tentar o contato, até que o policial entrou na residência.
Segundo o delegado, o cenário na casa era de que tinha acontecido uma luta corporal: a sala estava completamente desarrumada e havia fios de cabelo da vítima pelo chão. O corpo de Maria José estava entre dois cômodos, com marcas de facada no pescoço e em diversas partes do corpo.
O marido estava com ferimentos de faca no pulso, o que segundo o delegado, pode indicar suicídio. A faca usada foi de modelo peixeira. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Sam) ainda foi acionado, mas ambos já estavam sem vida.
O delegado conta que apesar de ainda morar na mesma casa, o casal passava pelo processo de separação, mas o suspeito não aceitava o fim do relacionamento. Ele acredita que o suspeito já fazia ameaças à vítima, apesar de não haver registros.
O casal tinha quatro filhos, todos maiores de idade. A polícia acredita que Maria José tinha feito caminhada pela manhã e foi morta quando retornou, já que era uma prática comum e a roupa que ela usava no momento em que foi morta indica isso. A perícia foi acionada e o caso será investigado pela Polícia Civil.
MaisPB