EM IGARACY: ´Zé Cobrinha´ afirma cães de rua são da prefeitura e vai matar mais, independente do estado de saúde

Cerca de 31 cachorros foram sacrificados na noite de terça-feira (6) na cidade de Igaracy, Sertão da Paraíba. De acordo com o secretário de Saúde da cidade, José Carlos Maia, conhecido como “Zé Cobrinha”, os animais estavam doentes. O secretário ainda afirmou que outros animais de rua, independente do estado de saúde, serão mortos.
Moradores da cidade, no entanto, sustentam que mais de 50 cachorros foram mortos, inclusive com pauladas e envenenados. Há relatos ainda de animais que possuíam donos, mas foram mortos pela prefeitura.
“Não existe cachorro de rua saudável”, afirmou o secretário ao Portal MaisPB. Ele ainda argumenta que a medida é de contenção e em favor dos moradores, que podem ser ‘infectados’ pelos animais. “Não podemos ficar com animais de rua e esperar que apareça problemas de saúde na população”, pontua.
A única forma de os animais não serem mortos, é se pessoas dispostas a adotar os cachorros aparecerem.
Segundo José Carlos, os animais sacrificados tinham doenças como infestação parasitária, doença do carrapato, tumores de pele e não tinham condição de recuperação. “Eu ia ficar com animais moribundos aonde?”, indagou. Ainda de acordo com José, cidades vizinhas ‘descarregaram’ alguns animais em Igaracy, e até proprietários de animais entregaram animais para serem sacrificados.
“Foi uma medida drástica, mas é a que o município disponibiliza”, afirmou. O secretário ainda informou que existe uma lei municipal que garante que os animais sem dono são de propriedade da cidade.
O secretário, que também é veterinário, afirma que os cachorros foram sacrificados através de eutanásia – morte com sedativos.
O presidente da Comissão de Direito do Animal da Ordem dos Advogados do Brasil na Paraíba (OAB), Francisco José Garcia, informou que a OAB deve enviar alguém até o local para apurar o caso.
O Conselho Regional de Medicina Veterinária abriu um procedimento administrativo para investigar a conduta do secretário.
MaisPB

Cerca de 31 cachorros foram sacrificados na noite de terça-feira (6) na cidade de Igaracy, Sertão da Paraíba. De acordo com o secretário de Saúde da cidade, José Carlos Maia, conhecido como “Zé Cobrinha”, os animais estavam doentes. O secretário ainda afirmou que outros animais de rua, independente do estado de saúde, serão mortos.
Moradores da cidade, no entanto, sustentam que mais de 50 cachorros foram mortos, inclusive com pauladas e envenenados. Há relatos ainda de animais que possuíam donos, mas foram mortos pela prefeitura.
“Não existe cachorro de rua saudável”, afirmou o secretário ao Portal MaisPB. Ele ainda argumenta que a medida é de contenção e em favor dos moradores, que podem ser ‘infectados’ pelos animais. “Não podemos ficar com animais de rua e esperar que apareça problemas de saúde na população”, pontua.
A única forma de os animais não serem mortos, é se pessoas dispostas a adotar os cachorros aparecerem.
Segundo José Carlos, os animais sacrificados tinham doenças como infestação parasitária, doença do carrapato, tumores de pele e não tinham condição de recuperação. “Eu ia ficar com animais moribundos aonde?”, indagou. Ainda de acordo com José, cidades vizinhas ‘descarregaram’ alguns animais em Igaracy, e até proprietários de animais entregaram animais para serem sacrificados.
“Foi uma medida drástica, mas é a que o município disponibiliza”, afirmou. O secretário ainda informou que existe uma lei municipal que garante que os animais sem dono são de propriedade da cidade.
O secretário, que também é veterinário, afirma que os cachorros foram sacrificados através de eutanásia – morte com sedativos.
O presidente da Comissão de Direito do Animal da Ordem dos Advogados do Brasil na Paraíba (OAB), Francisco José Garcia, informou que a OAB deve enviar alguém até o local para apurar o caso.
O Conselho Regional de Medicina Veterinária abriu um procedimento administrativo para investigar a conduta do secretário.
MaisPB