Repórter questiona Bolsonaro se ele atirou ou mandou atirar na caravana de Lula. Ele diz que tudo é mentira

mentiraO deputado federal e pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), que participou de ato político em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, nesta quarta-feira (28), disse em entrevista coletiva que os tiros em ônibus da caravana de Lula no estado foram uma mentira.
“Olha, aquele tiro é uma mentira, cara. Desculpa, é uma mentira. Está na cara que alguém parou a dois metros de distância e deu um tiro. O pessoal tenta se vitimizar o tempo todo. Sempre fizeram isso”, afirmou.
Ele fez a afirmação ao final da entrevista coletiva após ser questionado por uma repórter se tinha sido ele quem deu ou mandou dar o tiro.
Na entrevista, o pré-candidato disse ainda que é preciso enfrentar “com terrorismo as ações do MST [Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra]”.
Bolsonaro desembarcou na manhã desta quarta-feira no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.
Ele foi para Ponta Grossa durante a tarde. Na quinta-feira (29), ainda cumprirá agenda em Curitiba.

Tiros em ônibus
O ataque ocorreu na tarde de terça-feira (27) quando os dois ônibus da caravana seguiam de Quedas do Iguaçu, no oeste do estado, para Laranjeiras do Sul, na PR-473.
Ambos os veículos foram atingidos. Um dos ônibus levava convidados e, outro, transportava jornalistas do Brasil e do exterior. Ninguém ficou ferido.
O delegado da Polícia Civil Hélder Lauria disse nesta quarta que investiga o ataque à caravana do ex-presidente como disparo de arma de fogo com dano provocado.
G1

mentiraO deputado federal e pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), que participou de ato político em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, nesta quarta-feira (28), disse em entrevista coletiva que os tiros em ônibus da caravana de Lula no estado foram uma mentira.
“Olha, aquele tiro é uma mentira, cara. Desculpa, é uma mentira. Está na cara que alguém parou a dois metros de distância e deu um tiro. O pessoal tenta se vitimizar o tempo todo. Sempre fizeram isso”, afirmou.
Ele fez a afirmação ao final da entrevista coletiva após ser questionado por uma repórter se tinha sido ele quem deu ou mandou dar o tiro.
Na entrevista, o pré-candidato disse ainda que é preciso enfrentar “com terrorismo as ações do MST [Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra]”.
Bolsonaro desembarcou na manhã desta quarta-feira no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.
Ele foi para Ponta Grossa durante a tarde. Na quinta-feira (29), ainda cumprirá agenda em Curitiba.

Tiros em ônibus
O ataque ocorreu na tarde de terça-feira (27) quando os dois ônibus da caravana seguiam de Quedas do Iguaçu, no oeste do estado, para Laranjeiras do Sul, na PR-473.
Ambos os veículos foram atingidos. Um dos ônibus levava convidados e, outro, transportava jornalistas do Brasil e do exterior. Ninguém ficou ferido.
O delegado da Polícia Civil Hélder Lauria disse nesta quarta que investiga o ataque à caravana do ex-presidente como disparo de arma de fogo com dano provocado.
G1