Lutador de MMA, Adriano Mamute é assassinado com tiro e facadas em Belém

mamuteO lutador de MMA (artes marciais mistas) Adriano Sylberth Santana Pereira, conhecido como Mamute, de 29 anos, foi assassinado dentro de casa na madrugada desta terça-feira (3) no distrito de Outeiro, em Belém. A vítima morreu na frente da mulher e do filho. A Divisão de Homicídios investiga o crime.
Segundo a Polícia Civil, a vítima estava em sua casa com a companheira e um filho de nove anos, quando, por volta de 23h30, bateram na porta dos fundos da casa. Ao abrir a porta, Adriano Mamute se deparou com três homens, todos com camisas no rosto e armados.
Adriano correu para o quarto, onde estavam a companheira e filho dele, mas foi perseguido pelos indivíduos, que, ao chegarem ao quarto, foram em direção a Adriano, que lhes pediu calma, mas foi atingido com um tiro no rosto. A vítima caiu no chão ainda com vida.
Os criminosos pediram os aparelhos celulares de Adriano e da companheira. Eles pegaram o aparelho da companheira de Adriano e já estavam saindo da casa, quando perceberam que a vítima ainda estava viva e voltaram para aplicar golpes de faca no peito da vítima que morreu no local.
Ainda de acordo com a Polícia Civil, além de lutador com trinta lutas no cartel, Adriano era eletricista naval e tinha emprego fixo. A vítima não era usuário de drogas, nem envolvido com crimes e não estava sendo ameaçada, ainda segundo a apuração da equipe de policiais civis.
G1

mamuteO lutador de MMA (artes marciais mistas) Adriano Sylberth Santana Pereira, conhecido como Mamute, de 29 anos, foi assassinado dentro de casa na madrugada desta terça-feira (3) no distrito de Outeiro, em Belém. A vítima morreu na frente da mulher e do filho. A Divisão de Homicídios investiga o crime.
Segundo a Polícia Civil, a vítima estava em sua casa com a companheira e um filho de nove anos, quando, por volta de 23h30, bateram na porta dos fundos da casa. Ao abrir a porta, Adriano Mamute se deparou com três homens, todos com camisas no rosto e armados.
Adriano correu para o quarto, onde estavam a companheira e filho dele, mas foi perseguido pelos indivíduos, que, ao chegarem ao quarto, foram em direção a Adriano, que lhes pediu calma, mas foi atingido com um tiro no rosto. A vítima caiu no chão ainda com vida.
Os criminosos pediram os aparelhos celulares de Adriano e da companheira. Eles pegaram o aparelho da companheira de Adriano e já estavam saindo da casa, quando perceberam que a vítima ainda estava viva e voltaram para aplicar golpes de faca no peito da vítima que morreu no local.
Ainda de acordo com a Polícia Civil, além de lutador com trinta lutas no cartel, Adriano era eletricista naval e tinha emprego fixo. A vítima não era usuário de drogas, nem envolvido com crimes e não estava sendo ameaçada, ainda segundo a apuração da equipe de policiais civis.
G1