Perícia confirma que ônibus da caravana de Lula recebeu dois tiros

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi atingida por disparos de arma de fogo de calibre 32. É o que atestou a perícia técnica da Polícia Civil do Paraná. O laudo foi divulgado nesta quinta-feira, 5. Ao todo, dois tiros perfuraram a lataria de um dos três ônibus da comitiva petista na Rodovia PR-473, entre os municípios de Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no oeste do Estado. O fato ocorreu no dia 27 de março.
Segundo o delegado Hélder Lauria, de Laranjeiras do Sul, responsável pela investigação do caso, até agora a polícia não obteve pistas sobre a autoria dos disparos. Lauria esteve ontem na sede da Polícia Científica, em Curitiba, onde recebeu o resultado da perícia. “Já ouvimos 15 pessoas, também notificamos os órgãos de segurança para que indicassem os policiais que acompanhavam a caravana no dia”, disse.
De acordo com o perito criminal Inajar Kurowski, não foram encontrados vestígios de chumbo nos outros dois ônibus. O fragmento de um dos projéteis foi encontrado na lataria de um dos ônibus. “Um dos projéteis encontrados pertence à família 32, possivelmente uma arma ultrapassada, fora de linha. Essa foi uma das conclusões”, analisou o perito.

MIGUELITO
As perfurações foram constatadas na lataria e em um dos vidros. Segundo o perito, esse ônibus ainda teve um pneu perfurado por um “miguelito” – pontas de aço colocadas na estrada. O laudo não conclui se os ônibus estavam ou não em movimento no momento dos tiros, mas contatou que as perfurações eram recentes. “Os disparos foram feitos a partir de uma altura maior que o ônibus, mas não dá para precisar se de um barranco ou algo similar”, disse Kurowski.

LOCAL DE FATO
A polícia, de acordo com o delegado, ainda não conseguiu determinar o ponto exato em que o suposto ataque ocorreu, mas sabe que o atirador estava atrás dos ônibus e disparou em direção à frente do veículo. De acordo com o delegado, as imagens das câmeras de segurança do pedágio de Laranjeiras do Sul além de terem baixa qualidade não registraram nada suspeito na noite do crime.
Os investigadores refizeram na semana passada o trajeto da caravana de Lula para tentar encontrar pistas que levassem à autoria dos disparos, mas não encontrou ainda nenhuma testemunha que tenha visto os atiradores ou suspeitos fugindo.
A polícia também não recebeu nenhuma denúncia sobre quem seriam os autores dos tiros contra o ônibus.
Estadão

A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi atingida por disparos de arma de fogo de calibre 32. É o que atestou a perícia técnica da Polícia Civil do Paraná. O laudo foi divulgado nesta quinta-feira, 5. Ao todo, dois tiros perfuraram a lataria de um dos três ônibus da comitiva petista na Rodovia PR-473, entre os municípios de Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no oeste do Estado. O fato ocorreu no dia 27 de março.
Segundo o delegado Hélder Lauria, de Laranjeiras do Sul, responsável pela investigação do caso, até agora a polícia não obteve pistas sobre a autoria dos disparos. Lauria esteve ontem na sede da Polícia Científica, em Curitiba, onde recebeu o resultado da perícia. “Já ouvimos 15 pessoas, também notificamos os órgãos de segurança para que indicassem os policiais que acompanhavam a caravana no dia”, disse.
De acordo com o perito criminal Inajar Kurowski, não foram encontrados vestígios de chumbo nos outros dois ônibus. O fragmento de um dos projéteis foi encontrado na lataria de um dos ônibus. “Um dos projéteis encontrados pertence à família 32, possivelmente uma arma ultrapassada, fora de linha. Essa foi uma das conclusões”, analisou o perito.

MIGUELITO
As perfurações foram constatadas na lataria e em um dos vidros. Segundo o perito, esse ônibus ainda teve um pneu perfurado por um “miguelito” – pontas de aço colocadas na estrada. O laudo não conclui se os ônibus estavam ou não em movimento no momento dos tiros, mas contatou que as perfurações eram recentes. “Os disparos foram feitos a partir de uma altura maior que o ônibus, mas não dá para precisar se de um barranco ou algo similar”, disse Kurowski.

LOCAL DE FATO
A polícia, de acordo com o delegado, ainda não conseguiu determinar o ponto exato em que o suposto ataque ocorreu, mas sabe que o atirador estava atrás dos ônibus e disparou em direção à frente do veículo. De acordo com o delegado, as imagens das câmeras de segurança do pedágio de Laranjeiras do Sul além de terem baixa qualidade não registraram nada suspeito na noite do crime.
Os investigadores refizeram na semana passada o trajeto da caravana de Lula para tentar encontrar pistas que levassem à autoria dos disparos, mas não encontrou ainda nenhuma testemunha que tenha visto os atiradores ou suspeitos fugindo.
A polícia também não recebeu nenhuma denúncia sobre quem seriam os autores dos tiros contra o ônibus.
Estadão