Vantagens da incerteza

pesAi que vontade de saber o que vai acontecer daqui a pouco…
– Daqui quanto tempo?
Daqui cinco dias, cinco semanas, cinco meses, cinco anos, cinco décadas…
– Por que o cinco?
Modo de dizer. É um tanto de tempo. A gente sempre fala que não sabe o que vai acontecer daqui a cinco minutos. Por isso.
– Mas saber o que vai acontecer antes de chegar a hora, é isso?
Isso.
– Pra quê? Por quê?
Ué, eu tenho vontade.
-Você gosta de festa?
Gosto!
– Muito ou pouco?
Muito!
– Nas suas festas, nas que você organiza, faz do que você mais gosta?
Ah… do frio na barriga, de pensar quem vai aceitar ao convite, se a decoração, o cardápio, a música vão agradar…
– Ué, o que te deixa feliz, expectante é exatamente o que você não sabe. Você escutou o que acaba de falar?
Claro que não é isso! Gosto de saber das coisas.
– Gosta nada! Você gosta de não saber quem vai separar um tempo para ir a sua festa, gosta de não saber se vai ou não vai agradar com cada detalhe que preparou. Você gosta da incerteza.
Claro que não gosto disso.
– Não saber o que vai acontecer é o que faz o coração acelerar. A incerteza é que faz com que você se esforce, trabalhe mais, gaste mais. Simplesmente ignorar tudo sobre aprovação dos convidados e mesmo se você vai ou não gostar, que faz toda a diferença. Garanto, não saber o que vai acontecer daqui cinco minutos que é o bom da coisa.
-Será?
Certeza.
– Por quê?
Se você soubesse que a Amiguinha não iria mandaria um convite pra ela?
– Claro que não!
Não mandaria e ia perder a chance de saber que a moça que você jura que é sua amiga na verdade não está nem aí pra você.
– É mesmo…
E assim é com tudo na vida, menina. Não saber o que vai acontecer daqui a cinco minutos te dá chance de procurar viver bem, viver feliz com boas expectativas, esperanças renovadas a cada instante. Caso tivesse certeza de tudo, saberia o que daria certo, errado, o que não vale a pena nem tentar… Ia ser bom de um lado, mas só de um lado bem pequenininho.
– Tá bom. Estou convencida de que a incerteza e o efeito surpresa é a melhor coisa. Então deixa eu me dedicar para isso que estou fazendo agora porque, hoje, bem aqui, acredito que isso vai dar certo e, como não sei se vai mesmo dar ou não, é melhor eu me dedicar…
Boa garota!
Vivi Antunes é ajuntadora de letrinhas e assim o faz às segundas, quartas e sextas no www.viviantunes.com.br

pesAi que vontade de saber o que vai acontecer daqui a pouco…
– Daqui quanto tempo?
Daqui cinco dias, cinco semanas, cinco meses, cinco anos, cinco décadas…
– Por que o cinco?
Modo de dizer. É um tanto de tempo. A gente sempre fala que não sabe o que vai acontecer daqui a cinco minutos. Por isso.
– Mas saber o que vai acontecer antes de chegar a hora, é isso?
Isso.
– Pra quê? Por quê?
Ué, eu tenho vontade.
-Você gosta de festa?
Gosto!
– Muito ou pouco?
Muito!
– Nas suas festas, nas que você organiza, faz do que você mais gosta?
Ah… do frio na barriga, de pensar quem vai aceitar ao convite, se a decoração, o cardápio, a música vão agradar…
– Ué, o que te deixa feliz, expectante é exatamente o que você não sabe. Você escutou o que acaba de falar?
Claro que não é isso! Gosto de saber das coisas.
– Gosta nada! Você gosta de não saber quem vai separar um tempo para ir a sua festa, gosta de não saber se vai ou não vai agradar com cada detalhe que preparou. Você gosta da incerteza.
Claro que não gosto disso.
– Não saber o que vai acontecer é o que faz o coração acelerar. A incerteza é que faz com que você se esforce, trabalhe mais, gaste mais. Simplesmente ignorar tudo sobre aprovação dos convidados e mesmo se você vai ou não gostar, que faz toda a diferença. Garanto, não saber o que vai acontecer daqui cinco minutos que é o bom da coisa.
-Será?
Certeza.
– Por quê?
Se você soubesse que a Amiguinha não iria mandaria um convite pra ela?
– Claro que não!
Não mandaria e ia perder a chance de saber que a moça que você jura que é sua amiga na verdade não está nem aí pra você.
– É mesmo…
E assim é com tudo na vida, menina. Não saber o que vai acontecer daqui a cinco minutos te dá chance de procurar viver bem, viver feliz com boas expectativas, esperanças renovadas a cada instante. Caso tivesse certeza de tudo, saberia o que daria certo, errado, o que não vale a pena nem tentar… Ia ser bom de um lado, mas só de um lado bem pequenininho.
– Tá bom. Estou convencida de que a incerteza e o efeito surpresa é a melhor coisa. Então deixa eu me dedicar para isso que estou fazendo agora porque, hoje, bem aqui, acredito que isso vai dar certo e, como não sei se vai mesmo dar ou não, é melhor eu me dedicar…
Boa garota!
Vivi Antunes é ajuntadora de letrinhas e assim o faz às segundas, quartas e sextas no www.viviantunes.com.br