Baile da Santinha termina com tiroteio e medo

campestreTrês homens que faziam a segurança do show do cantor Léo Santana, durante a Festa da Santinha, no Clube Campestre de Campina Grande, foram atingidos por tiros na noite da sexta-feira (13).
Ítalo Fernandes Egito Leal, 30 anos, Thiago Badu de Sousa, 33 anos e Thiago Luís Mota Araújo, 36 anos, foram atendidos e liberados do Hospital de Emergência e Trauma da cidade nesta manhã de sábado (14). Ítalo retornou ao hospital, por volta das 10h40 para uma reavaliação.
Das duas versões que o fato gerou, uma é dita pelo presidente do Clube, Alex Marcolino. Ele disse num grupo de WhatsApp que um homem teria sido expulso do show pelos seguranças. Insatisfeito, o acusado teria voltado efetuando os disparos contra os seguranças.
Ao ser questionado sobre a ocorrência, o presidente contou o que ouviu. “Soube que os seguranças colocaram um cara para fora da festa e o mesmo não gostou. Voltou de moto e efetuou disparos nos profissionais. Mas a briga começou do lado de fora do clube e veio para o estacionamento”, disse.
Porém, a primeira versão que surgiu nos grupos da imprensa da Paraíba é de que bandidos tentaram assaltar a bilheteria do local. Mas os seguranças agiram rapidamente para evitar o crime e foram baleados. A Polícia Militar apurou e publicou a versão do presidente do clube.
Redação PB Debate

campestreTrês homens que faziam a segurança do show do cantor Léo Santana, durante a Festa da Santinha, no Clube Campestre de Campina Grande, foram atingidos por tiros na noite da sexta-feira (13).
Ítalo Fernandes Egito Leal, 30 anos, Thiago Badu de Sousa, 33 anos e Thiago Luís Mota Araújo, 36 anos, foram atendidos e liberados do Hospital de Emergência e Trauma da cidade nesta manhã de sábado (14). Ítalo retornou ao hospital, por volta das 10h40 para uma reavaliação.
Das duas versões que o fato gerou, uma é dita pelo presidente do Clube, Alex Marcolino. Ele disse num grupo de WhatsApp que um homem teria sido expulso do show pelos seguranças. Insatisfeito, o acusado teria voltado efetuando os disparos contra os seguranças.
Ao ser questionado sobre a ocorrência, o presidente contou o que ouviu. “Soube que os seguranças colocaram um cara para fora da festa e o mesmo não gostou. Voltou de moto e efetuou disparos nos profissionais. Mas a briga começou do lado de fora do clube e veio para o estacionamento”, disse.
Porém, a primeira versão que surgiu nos grupos da imprensa da Paraíba é de que bandidos tentaram assaltar a bilheteria do local. Mas os seguranças agiram rapidamente para evitar o crime e foram baleados. A Polícia Militar apurou e publicou a versão do presidente do clube.
Redação PB Debate