Morre bebê de grávida atropelada por retroescavadeira em Campina Grande

Morreu o bebê da gestante que foi atropelada por uma retroescavadeira em Campina Grande. A gestação era de 27 semanas. A ausência de sinais vitais do feto foi identificada por uma ultrassonografia realizada na noite de quinta-feira (10).
De acordo com o diretor-geral do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, Geraldo Medeiros, um obstetra está acompanhando o caso para realizar a retirada do bebê. A morte foi causada pelos politraumatismos sofridos pela vítima no acidente.
Rayane Andrade Araújo ainda se encontra na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e seu estado de saúde é grave. Segundo Geraldo, ela teve traumatismo craniano, fratura dos ossos da cabeça, e uma lesão que provocou a abertura da bacia.
“A prioridade agora é salvar a gestante, que ainda é uma paciente grave. Ela teve uma lesão intensa da coxa, que está enegrecida. Ela deve ter ainda uma longa permanência no hospital, e corre risco de morte”, ressalta.
A vítima foi atropelada na última terça-feira (8) quando ia atravessar a rua. O acidente aconteceu quando o motorista da retroescavadeira deu ré na máquina em alta velocidade no momento em que a vítima passava por trás do veículo.
MaisPB

Morreu o bebê da gestante que foi atropelada por uma retroescavadeira em Campina Grande. A gestação era de 27 semanas. A ausência de sinais vitais do feto foi identificada por uma ultrassonografia realizada na noite de quinta-feira (10).
De acordo com o diretor-geral do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, Geraldo Medeiros, um obstetra está acompanhando o caso para realizar a retirada do bebê. A morte foi causada pelos politraumatismos sofridos pela vítima no acidente.
Rayane Andrade Araújo ainda se encontra na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e seu estado de saúde é grave. Segundo Geraldo, ela teve traumatismo craniano, fratura dos ossos da cabeça, e uma lesão que provocou a abertura da bacia.
“A prioridade agora é salvar a gestante, que ainda é uma paciente grave. Ela teve uma lesão intensa da coxa, que está enegrecida. Ela deve ter ainda uma longa permanência no hospital, e corre risco de morte”, ressalta.
A vítima foi atropelada na última terça-feira (8) quando ia atravessar a rua. O acidente aconteceu quando o motorista da retroescavadeira deu ré na máquina em alta velocidade no momento em que a vítima passava por trás do veículo.
MaisPB