Médico oftalmologista diz que dia nacional do glaucoma é de luto e vergonha para a saúde pública do setor

sauloO que deveria ser um dia de orgulho para o setor de saúde pública no Brasil, notadamente na área do tratamento do glaucoma, acabou por se transformar num verdadeiro dia nacional de luto, já que o governo federal há 90 dias cortou 60% de todos os recursos para tratar da doença. Nesse sentido o dia 26 de maio, dia nacional do glaucoma, ao invés de ser motivo de comemoração, acabou se tornando um dia de vergonha.
Mostrando toda sua revolta e indignação o médico oftalmologista campinense Saulo Freire (foto) divulgou nota neste sábado afirmando que três dias após a publicação do governo federal cortando os recursos para o setor, percorreu todas as instituições públicas da Paraíba, Justiça Federal, Justiça Estadual e Curadorias comunicando o descalabro e denunciando a situação de penúria em que foram jogadas as pessoas que precisam de tratamento de glaucoma e que contam apenas com o Sistema Único de Saúde – SUS – como solução para o problema.
Segundo Saulo Freire a situação é crítica e revoltante, “já que as pessoas continuam a chegar na nossa clínica chorando por não ter um único colírio para o seu tratamento. Isso é um descalabro do governo Temer, cuja portaria assinada para prejudicar o povo necessitado desse tratamento tem a identificação das siglas MDB, de Temer, e PP, do ministro que assinou o documento”.
Por fim, Saulo Freire afirma que “estas duas siglas partidárias estão deixando as pessoas no Brasil vergonhosamente mais cegas, por não terem nenhum cuidado, nenhuma assistência ao tratamento e nenhuma assistência farmacológica. Então o dia 26 de maio não é o dia nacional do glaucoma, mas é o dia de luto da oftalmologia brasileira por perda significativa dos recursos para tão importante tratamento dessa patologia, que é a que mais cega pessoas no mundo, porque sua ação é irreversível e o tratamento muitas vezes consiste apenas em minorar a perda visual do paciente”, completou.

sauloO que deveria ser um dia de orgulho para o setor de saúde pública no Brasil, notadamente na área do tratamento do glaucoma, acabou por se transformar num verdadeiro dia nacional de luto, já que o governo federal há 90 dias cortou 60% de todos os recursos para tratar da doença. Nesse sentido o dia 26 de maio, dia nacional do glaucoma, ao invés de ser motivo de comemoração, acabou se tornando um dia de vergonha.
Mostrando toda sua revolta e indignação o médico oftalmologista campinense Saulo Freire (foto) divulgou nota neste sábado afirmando que três dias após a publicação do governo federal cortando os recursos para o setor, percorreu todas as instituições públicas da Paraíba, Justiça Federal, Justiça Estadual e Curadorias comunicando o descalabro e denunciando a situação de penúria em que foram jogadas as pessoas que precisam de tratamento de glaucoma e que contam apenas com o Sistema Único de Saúde – SUS – como solução para o problema.
Segundo Saulo Freire a situação é crítica e revoltante, “já que as pessoas continuam a chegar na nossa clínica chorando por não ter um único colírio para o seu tratamento. Isso é um descalabro do governo Temer, cuja portaria assinada para prejudicar o povo necessitado desse tratamento tem a identificação das siglas MDB, de Temer, e PP, do ministro que assinou o documento”.
Por fim, Saulo Freire afirma que “estas duas siglas partidárias estão deixando as pessoas no Brasil vergonhosamente mais cegas, por não terem nenhum cuidado, nenhuma assistência ao tratamento e nenhuma assistência farmacológica. Então o dia 26 de maio não é o dia nacional do glaucoma, mas é o dia de luto da oftalmologia brasileira por perda significativa dos recursos para tão importante tratamento dessa patologia, que é a que mais cega pessoas no mundo, porque sua ação é irreversível e o tratamento muitas vezes consiste apenas em minorar a perda visual do paciente”, completou.