Brasil sofre apagão, mas vence Holanda por 3 sets a 1

Em um dos confrontos mais esperados da terceira semana da Liga das Nações, o Brasil derrotou a Holanda por 3 sets a 1 (25/23, 26/24, 13/25, 25/22) e chegou a oito vitórias seguidas na competição. Tandara mais uma vez foi a principal pontuadora do Brasil e marcou 31 pontos.
Com o resultado, a seleção de Zé Roberto chega a oito vitórias na competição e aos 24 pontos, no segundo lugar. Na próxima semana, em Jiangmen, na China, as brasileiras encaram as donas da casa, os Estados Unidos e a Rússia.
Na vitória por 3 a 1, o Brasil sofreu com um problema crônico: começou mal os três primeiros sets. Nos dois primeiros, conseguiu reagir e vencer as parciais. No terceiro, as holandesas não deram chances para as brasileiras. Tandara, mais uma vez, comandou o ataque brasileiro, enquanto Roberta ditava o ritmo das jogadas. Com Suelen no comando, o Brasil mostrou bastante raça na defesa, salvando bolas improváveis.

Brasil vence Holanda pela Liga das Nações de Vôlei (Foto: Divulgação/FIVB)
A Holanda começou forçando o saque e complicando a recepção brasileira. Quando Balkestein foi para o saque, as donas da casa engataram uma sequência de pontos, abrindo cinco de diferença e forçando Zé Roberto a pedir tempo: 12 a 7. Depois foi a vez do Brasil forçar o saque com Gabi, que procurava a líbero Knip. A seleção brasileira voltou para o jogo, e o empate veio com dois bloqueios de Adenízia, e a virada com Tandara soltando o braço: 14 a 12.
O bloqueio brasileiro funcionava e complicava a vida brasileira. Com o bloqueio de Roberta, o Brasil ampliou a vantagem para quatro pontos. Quando a Holanda tentava reagir, Tandara agia. Mas na passagem de Plak pelo saque, as donas da casa encostaram: 24 a 23. Mas, no erro da própria holandesa, o Brasil fechou o primeiro set em 25 a 23.

Tandara comemora ponto contra a Holanda (Foto: Divulgação/FIVB)
O segundo set começou como o primeiro, com a Holanda bem no saque. Na passagem de Belien, as donas da casa abriram 4 a 1. O Brasil chegou a encostar e empatar em 5 a 5, mas as holandesas foram para a primeira parada obrigatória com três pontos de vantagem: 8 a 5. O Brasil voltou a reagir na mesma fase do set e, com ace de Roberta, empatou o jogo: 11 a 11. Na sequência, o saque da levantadora funcionou de novo, e o bloqueio triplo brasileiro virou.
Após a segunda parada obrigatória, as seleções começaram a alternar pontos. O Brasil abria dois, e a Holanda empatava. E quando as donas da casa iam virar, Zé Roberto “marcou”. Após ataque de Tandara dado para fora, o treinador brasileiro pediu o desafio e conseguiu reverter o ponto: 24 a 23. E a própria oposta fechou o set para o Brasil, com um ponto de ataque e um ace: 26 a 24.
O cenário parecia rotina. Holanda mais uma vez iniciou bem o set, complicando a recepção brasileira e indo para a primeira parada obrigatória com três pontos de vantagem: 8 a 5. Mas dessa vez o Brasil não conseguiu encaixar o saque, nem o bloqueio, e as donas da casa continuaram se impondo e abriram seis pontos: 14 a 8. As brasileiras não se encontravam em quadra, e a s holandesas não davam chances para o Brasil. No bloqueio de Koolhaas, a diferença foi para nove pontos: 19 a 9. Sem reação brasileira, as donas da casa se mantiveram no jogo com a vitória por 25 a 13.

O Brasil estava determinado a não repetir os erros dos sets anteriores. Com bom aproveitamento no ataque, as brasileiras foram para a parada técnica com vantagem de três pontos: 8 a 5. Então, foi a vez de as holandesas correrem atrás. E com o bloqueio encaixado, as donas da casa chegaram ao empate após toque na rede de Bia em bola dividida: 11 a 11.
Mas o Brasil voltou a abrir e, com bloqueio de Tandara, foi para a segunda parada obrigatória com três pontos de vantagem: 16 a 13. A partir daí, as equipes começaram a trocar pontos, com a oposta brasileira sempre marcando para o Brasil. A Holanda cortou a diferença e quando teve a chance de empatar, Koolhaas desperdiçou jogando para fora. Na sequência, Carol bloqueou e deixou as brasileiras a dois pontos da vitória. E em linda jogada de Roberta, que deixou a bola passar e enganou o bloqueio holandês, o Brasil fechou o jogo com ponto da líbero Suelen.
GE

Em um dos confrontos mais esperados da terceira semana da Liga das Nações, o Brasil derrotou a Holanda por 3 sets a 1 (25/23, 26/24, 13/25, 25/22) e chegou a oito vitórias seguidas na competição. Tandara mais uma vez foi a principal pontuadora do Brasil e marcou 31 pontos.
Com o resultado, a seleção de Zé Roberto chega a oito vitórias na competição e aos 24 pontos, no segundo lugar. Na próxima semana, em Jiangmen, na China, as brasileiras encaram as donas da casa, os Estados Unidos e a Rússia.
Na vitória por 3 a 1, o Brasil sofreu com um problema crônico: começou mal os três primeiros sets. Nos dois primeiros, conseguiu reagir e vencer as parciais. No terceiro, as holandesas não deram chances para as brasileiras. Tandara, mais uma vez, comandou o ataque brasileiro, enquanto Roberta ditava o ritmo das jogadas. Com Suelen no comando, o Brasil mostrou bastante raça na defesa, salvando bolas improváveis.

Brasil vence Holanda pela Liga das Nações de Vôlei (Foto: Divulgação/FIVB)
A Holanda começou forçando o saque e complicando a recepção brasileira. Quando Balkestein foi para o saque, as donas da casa engataram uma sequência de pontos, abrindo cinco de diferença e forçando Zé Roberto a pedir tempo: 12 a 7. Depois foi a vez do Brasil forçar o saque com Gabi, que procurava a líbero Knip. A seleção brasileira voltou para o jogo, e o empate veio com dois bloqueios de Adenízia, e a virada com Tandara soltando o braço: 14 a 12.
O bloqueio brasileiro funcionava e complicava a vida brasileira. Com o bloqueio de Roberta, o Brasil ampliou a vantagem para quatro pontos. Quando a Holanda tentava reagir, Tandara agia. Mas na passagem de Plak pelo saque, as donas da casa encostaram: 24 a 23. Mas, no erro da própria holandesa, o Brasil fechou o primeiro set em 25 a 23.

Tandara comemora ponto contra a Holanda (Foto: Divulgação/FIVB)
O segundo set começou como o primeiro, com a Holanda bem no saque. Na passagem de Belien, as donas da casa abriram 4 a 1. O Brasil chegou a encostar e empatar em 5 a 5, mas as holandesas foram para a primeira parada obrigatória com três pontos de vantagem: 8 a 5. O Brasil voltou a reagir na mesma fase do set e, com ace de Roberta, empatou o jogo: 11 a 11. Na sequência, o saque da levantadora funcionou de novo, e o bloqueio triplo brasileiro virou.
Após a segunda parada obrigatória, as seleções começaram a alternar pontos. O Brasil abria dois, e a Holanda empatava. E quando as donas da casa iam virar, Zé Roberto “marcou”. Após ataque de Tandara dado para fora, o treinador brasileiro pediu o desafio e conseguiu reverter o ponto: 24 a 23. E a própria oposta fechou o set para o Brasil, com um ponto de ataque e um ace: 26 a 24.
O cenário parecia rotina. Holanda mais uma vez iniciou bem o set, complicando a recepção brasileira e indo para a primeira parada obrigatória com três pontos de vantagem: 8 a 5. Mas dessa vez o Brasil não conseguiu encaixar o saque, nem o bloqueio, e as donas da casa continuaram se impondo e abriram seis pontos: 14 a 8. As brasileiras não se encontravam em quadra, e a s holandesas não davam chances para o Brasil. No bloqueio de Koolhaas, a diferença foi para nove pontos: 19 a 9. Sem reação brasileira, as donas da casa se mantiveram no jogo com a vitória por 25 a 13.

O Brasil estava determinado a não repetir os erros dos sets anteriores. Com bom aproveitamento no ataque, as brasileiras foram para a parada técnica com vantagem de três pontos: 8 a 5. Então, foi a vez de as holandesas correrem atrás. E com o bloqueio encaixado, as donas da casa chegaram ao empate após toque na rede de Bia em bola dividida: 11 a 11.
Mas o Brasil voltou a abrir e, com bloqueio de Tandara, foi para a segunda parada obrigatória com três pontos de vantagem: 16 a 13. A partir daí, as equipes começaram a trocar pontos, com a oposta brasileira sempre marcando para o Brasil. A Holanda cortou a diferença e quando teve a chance de empatar, Koolhaas desperdiçou jogando para fora. Na sequência, Carol bloqueou e deixou as brasileiras a dois pontos da vitória. E em linda jogada de Roberta, que deixou a bola passar e enganou o bloqueio holandês, o Brasil fechou o jogo com ponto da líbero Suelen.
GE