Polícia apura se submetralhadora apreendida em Itaguaí foi usada na execução de Marielle

subA Polícia Civil do Rio de Janeiro vai periciar a submetralhadora modelo MP5 apreendida na quarta-feira (30) em Itaguaí, município da Região Metropolitana. A arma é do mesmo modelo que, segundo a investigação, foi utilizada para matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes. A informação foi confirmada pela TV Globo nesta quinta-feira (31).
A prisão de um suspeito nesta quarta alertou a Divisão de Homicídios e o Ministério Público estadual para uma possível ligação da ocorrência com o assassinato de Marielle e Anderson.
Ainda na quarta, o G1 apurou que o MP iria solicitar à polícia a perícia na submetralhadora, apreendida junto com outras armas junto com o preso no bairro de Chaperó, em Itaguaí. Nesta quinta, o órgão confirmou que o promotor da Promotoria de Investigação Penal de Itaguaí, Jorge Luiz Furquim, encaminharia a arma para o Instituto Carlos Éboli (ICCE), para exame.
A submetralhadora foi apreendida durante operação do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB) para desarticular um grupo de milicianos. Além do armamento, foi preso Ruan de Oliveira Dias, que estava em um apartamento num condomínio do bairro.
Ruan tentou fugir pela janela do imóvel, mas acabou capturado pelos agentes. No local, os policiais apreenderam, além da arma, quatro pistolas, dois revólveres e mais uma submetralhadora calibre 9 milímetros. E, ainda, dez rádiotransmissores, fardas do Bope (Batalhão de Operações Especiais da PM) e quatro coletes.
G1

subA Polícia Civil do Rio de Janeiro vai periciar a submetralhadora modelo MP5 apreendida na quarta-feira (30) em Itaguaí, município da Região Metropolitana. A arma é do mesmo modelo que, segundo a investigação, foi utilizada para matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes. A informação foi confirmada pela TV Globo nesta quinta-feira (31).
A prisão de um suspeito nesta quarta alertou a Divisão de Homicídios e o Ministério Público estadual para uma possível ligação da ocorrência com o assassinato de Marielle e Anderson.
Ainda na quarta, o G1 apurou que o MP iria solicitar à polícia a perícia na submetralhadora, apreendida junto com outras armas junto com o preso no bairro de Chaperó, em Itaguaí. Nesta quinta, o órgão confirmou que o promotor da Promotoria de Investigação Penal de Itaguaí, Jorge Luiz Furquim, encaminharia a arma para o Instituto Carlos Éboli (ICCE), para exame.
A submetralhadora foi apreendida durante operação do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB) para desarticular um grupo de milicianos. Além do armamento, foi preso Ruan de Oliveira Dias, que estava em um apartamento num condomínio do bairro.
Ruan tentou fugir pela janela do imóvel, mas acabou capturado pelos agentes. No local, os policiais apreenderam, além da arma, quatro pistolas, dois revólveres e mais uma submetralhadora calibre 9 milímetros. E, ainda, dez rádiotransmissores, fardas do Bope (Batalhão de Operações Especiais da PM) e quatro coletes.
G1