CNI apresenta propostas ao governo para acelerar a retomada da normalidade no Brasil Agência de Notícias CNI

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avalia que há melhoras pontuais na distribuição de insumos e produtos, o que permitirá a retomada gradual da produção. A expectativa é que a operação logística nas estradas se normalize até a próxima semana. O ritmo da retomada da produção industrial deverá variar de acordo com os setores.
Em reunião realizada nesta quarta-feira (30) na Casa Civil com representantes do governo e confederações nacionais, a CNI apresentou propostas para reduzir os danos e acelerar a volta da atividade industrial.
Entre as demandas, estão o aumento das ações de desobstrução de vias e proteção de cargas e caminhões; prioridade na proteção de cargas críticas e de alto risco (produtos químicos, insumos hospitalares, alimentos); extensão da validade de notas fiscais para circulação de produtos; e ampliação de prazo para recolhimento de tributos para viabilizar pagamento de salários aos trabalhadores.
A indústria brasileira, representada pela CNI, pelas federações estaduais e pelas associações setoriais, reitera a urgência da normalização de todas as atividades produtivas para o bem de todos os brasileiros.
_____________
Na reunião no Palácio do Planalto do setor produtivo com o governo, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) foi representada pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, e pela diretora de Relações Institucionais da CNI, Mônica Messemberg.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avalia que há melhoras pontuais na distribuição de insumos e produtos, o que permitirá a retomada gradual da produção. A expectativa é que a operação logística nas estradas se normalize até a próxima semana. O ritmo da retomada da produção industrial deverá variar de acordo com os setores.
Em reunião realizada nesta quarta-feira (30) na Casa Civil com representantes do governo e confederações nacionais, a CNI apresentou propostas para reduzir os danos e acelerar a volta da atividade industrial.
Entre as demandas, estão o aumento das ações de desobstrução de vias e proteção de cargas e caminhões; prioridade na proteção de cargas críticas e de alto risco (produtos químicos, insumos hospitalares, alimentos); extensão da validade de notas fiscais para circulação de produtos; e ampliação de prazo para recolhimento de tributos para viabilizar pagamento de salários aos trabalhadores.
A indústria brasileira, representada pela CNI, pelas federações estaduais e pelas associações setoriais, reitera a urgência da normalização de todas as atividades produtivas para o bem de todos os brasileiros.
_____________
Na reunião no Palácio do Planalto do setor produtivo com o governo, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) foi representada pelo presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry, e pela diretora de Relações Institucionais da CNI, Mônica Messemberg.