Taxista é assassinado durante assalto em Campina

TAXISTAUm taxista foi assassinado por volta das 04h30 deste domingo (10/06) na Avenida Dinamérica Alves Correia, no Bairro Dinamérica, em Campina Grande.
Ele foi vítima de assalto, confirmou a PC ao www.renatodiniz.com.
O trabalhador Humberto Gaudêncio da Silva, de 54 anos, mesmo baleado conseguiu sair de dentro do carro, correu cerca de 200 metros, mas acabou não resistindo e morreu no pátio de um posto de gasolina na

Avenida Floriano Peixoto, no Centenário.
O veículo acabou colidindo com um poste na Avenida Dinamérica.
Humberto trabalhava numa Praça no Centro (ao lado do Capitólio) e morava na Rua Antônio B. Paz, no Alto Branco.
O assassino, ainda não identificado, seria um hóspede de uma pousada no Centro.
Inclusive, segundo informações obtidas pela PC e repassadas ao www.renatodiniz.com, esse suspeito assaltou o local, agrediu um vigia com uma coronhada e em seguida pegou o táxi.
O taxista foi morto com um tiro a altura do peito.
O assassino estaria no banco do carona.
No local onde o carro bateu, moradores disseram que foram ouvidos dois disparos.
O caso, por se tratar de latrocínio, vai ser investigado pele Delegacia de Roubos e Furtos.
Renato Diniz

TAXISTAUm taxista foi assassinado por volta das 04h30 deste domingo (10/06) na Avenida Dinamérica Alves Correia, no Bairro Dinamérica, em Campina Grande.
Ele foi vítima de assalto, confirmou a PC ao www.renatodiniz.com.
O trabalhador Humberto Gaudêncio da Silva, de 54 anos, mesmo baleado conseguiu sair de dentro do carro, correu cerca de 200 metros, mas acabou não resistindo e morreu no pátio de um posto de gasolina na

Avenida Floriano Peixoto, no Centenário.
O veículo acabou colidindo com um poste na Avenida Dinamérica.
Humberto trabalhava numa Praça no Centro (ao lado do Capitólio) e morava na Rua Antônio B. Paz, no Alto Branco.
O assassino, ainda não identificado, seria um hóspede de uma pousada no Centro.
Inclusive, segundo informações obtidas pela PC e repassadas ao www.renatodiniz.com, esse suspeito assaltou o local, agrediu um vigia com uma coronhada e em seguida pegou o táxi.
O taxista foi morto com um tiro a altura do peito.
O assassino estaria no banco do carona.
No local onde o carro bateu, moradores disseram que foram ouvidos dois disparos.
O caso, por se tratar de latrocínio, vai ser investigado pele Delegacia de Roubos e Furtos.
Renato Diniz