Sindicato aberto a negociar folga de comerciários durante os jogos da copa do mundo

A Copa do Mundo é um evento esportivo que ocorre a cada 4 (quatro) anos, onde diversas seleções de futebol se reúnem para disputar este que é um dos maiores eventos esportivos do Planeta. Tudo pronto para a 21ª edição, que será aberta nesta quinta-feira (14). Ao meio-dia (horário de Brasília), a bola rola para Rússia e Arábia Saudita, no Estádio Luzhniki, com expectativa de 80 mil torcedores.

Diante do evento de tamanha grandeza, o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Campina Grande e Região, está aberto á negociar com as empresas as folgas, que porventura, venham a ser concedidas aos seus empregados para que os mesmos possam assistir aos jogos em suas residências ao lado de seus familiares.

Conforme o presidente do Sindicato, José do Nascimento Coelho, o trabalhador sendo liberado apenas durante o horário do jogo, dificilmente ele retornará à empresa por dificuldades, sendo, assim, importante o patrão negociar a sua folga para evitar prejuízos a ambas partes.

O evento, transmitido por inúmeras redes de televisão de todo o mundo, influencia as atividades profissionais de grande parte das empresas, as quais acabam cedendo ao espírito esportivo que envolve todas as nações.

Mais acentuada até que em outros países, esta influência no Brasil está diretamente ligada à paixão nacional pelo futebol, onde mesmo fora da época da copa, muitos trabalhadores (torcedores) priorizam uma ou outra partida decisiva.

O fato é que na legislação trabalhista não há nenhuma previsão legal que assegure aos empregados o direito de paralisar suas atividades profissionais durante o período de transmissão dos jogos da copa, ainda que os mesmos o façam no próprio ambiente de trabalho.

Texto: ASCOM – Sindicato dos Comerciários/CG

A Copa do Mundo é um evento esportivo que ocorre a cada 4 (quatro) anos, onde diversas seleções de futebol se reúnem para disputar este que é um dos maiores eventos esportivos do Planeta. Tudo pronto para a 21ª edição, que será aberta nesta quinta-feira (14). Ao meio-dia (horário de Brasília), a bola rola para Rússia e Arábia Saudita, no Estádio Luzhniki, com expectativa de 80 mil torcedores.

Diante do evento de tamanha grandeza, o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Campina Grande e Região, está aberto á negociar com as empresas as folgas, que porventura, venham a ser concedidas aos seus empregados para que os mesmos possam assistir aos jogos em suas residências ao lado de seus familiares.

Conforme o presidente do Sindicato, José do Nascimento Coelho, o trabalhador sendo liberado apenas durante o horário do jogo, dificilmente ele retornará à empresa por dificuldades, sendo, assim, importante o patrão negociar a sua folga para evitar prejuízos a ambas partes.

O evento, transmitido por inúmeras redes de televisão de todo o mundo, influencia as atividades profissionais de grande parte das empresas, as quais acabam cedendo ao espírito esportivo que envolve todas as nações.

Mais acentuada até que em outros países, esta influência no Brasil está diretamente ligada à paixão nacional pelo futebol, onde mesmo fora da época da copa, muitos trabalhadores (torcedores) priorizam uma ou outra partida decisiva.

O fato é que na legislação trabalhista não há nenhuma previsão legal que assegure aos empregados o direito de paralisar suas atividades profissionais durante o período de transmissão dos jogos da copa, ainda que os mesmos o façam no próprio ambiente de trabalho.

Texto: ASCOM – Sindicato dos Comerciários/CG