Desencantado e preocupado com descrença dos brasileiros com a política, Lira desabafa: “Não dá gosto ser político”

Após anunciar a desistência de disputar à reeleição, e praticamente deixar claro que já decidiu abandonar a vida pública, o senador Raimundo Lira (PSD), revelou que estava desapontado com a política. Lira que chegou ao Senado após a renuncia do senador Vital do Rêgo, explicou os motivou ele a abrir mão da pré-candidatura ao Senado Federal.
O senador reafirmou que começou a refletir sobre a vida política durante o velório do deputado federal Rômulo Gouveia (PSD), que faleceu vítima de um infarto em Campina Grande em maio deste ano. Além disso, ressaltou o desencanto com a política.
– O que motivou primeiro foi o desencanto com a política. Então, quando eu estive no velório do querido Rômulo Gouveia passei a raciocinar e fazer uma reflexão profunda com relação se compensava dedicar a vida toda à política e no fim, com 53 anos, estar saindo de cena. Vi que não valia a pena para mim, completei 74 anos e tenho uma família – disse o senador.
Ele detalhou que o grau de descrença existente entre os brasileiros com a política também teria pesado na sua decisão.
“É importante que você rememore que é o sistema político e democrático que leva o país pra frente mas não recebe a credibilidade que devia receber da população e sinceramente isso não dá gosto de você ser político” disse.
O parlamentar disse que sua desistência não representa ruptura com o projeto político de Lucélio Cartaxo (PV) e Cássio Cunha Lima (PSDB), mas também não descartou a possibilidade de apoiar outros candidatos.
“Agora estou um livre atirador” disparou.
No mandato atual, Lira foi eleito vice presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), e deve destacada participação na presidência do impeachment, que resultou na cassação do mandato da ex presidente Dilma Rousseff (PT).
PB Agora

Após anunciar a desistência de disputar à reeleição, e praticamente deixar claro que já decidiu abandonar a vida pública, o senador Raimundo Lira (PSD), revelou que estava desapontado com a política. Lira que chegou ao Senado após a renuncia do senador Vital do Rêgo, explicou os motivou ele a abrir mão da pré-candidatura ao Senado Federal.
O senador reafirmou que começou a refletir sobre a vida política durante o velório do deputado federal Rômulo Gouveia (PSD), que faleceu vítima de um infarto em Campina Grande em maio deste ano. Além disso, ressaltou o desencanto com a política.
– O que motivou primeiro foi o desencanto com a política. Então, quando eu estive no velório do querido Rômulo Gouveia passei a raciocinar e fazer uma reflexão profunda com relação se compensava dedicar a vida toda à política e no fim, com 53 anos, estar saindo de cena. Vi que não valia a pena para mim, completei 74 anos e tenho uma família – disse o senador.
Ele detalhou que o grau de descrença existente entre os brasileiros com a política também teria pesado na sua decisão.
“É importante que você rememore que é o sistema político e democrático que leva o país pra frente mas não recebe a credibilidade que devia receber da população e sinceramente isso não dá gosto de você ser político” disse.
O parlamentar disse que sua desistência não representa ruptura com o projeto político de Lucélio Cartaxo (PV) e Cássio Cunha Lima (PSDB), mas também não descartou a possibilidade de apoiar outros candidatos.
“Agora estou um livre atirador” disparou.
No mandato atual, Lira foi eleito vice presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), e deve destacada participação na presidência do impeachment, que resultou na cassação do mandato da ex presidente Dilma Rousseff (PT).
PB Agora