Campinense leva ´ferro´ no Amigão: vence o jogo, mas perde nos pênaltis

xo2O Campinense venceu mas não levou. Após derrotar o Ferrroviário no tempo normal, por 1 a 0, o time rubro-negro desta vez não foi feliz nas cobranças de pênaltis e viu o sonho do acesso acabar. Na disputa, o time cearense levou a melhor e venceu por 5 a 4, ficando com a última vaga para Série D do Brasileiro de 2019.
Agora, o Ferrim se junta a São José-RS, Treze e Imperatriz-MA, que conseguiram o acesso e vaga nas semifinais no domingo. Ao Campinense, que havia vencido dois mata-matas nas penalidades, em casa, resta se reestruturar para o ano que vem.
No duelo de volta desta noite, no Amigão, o time raposeiro até que lutou para sair de campo com o acesso no tempo normal. Para isso, precisava vencer por dois ou mais gols de diferença, uma vez que havia perdido o jogo da ida por 3 a 2, em Fortaleza.
No entanto, o Tubarão da Barra foi mais competente nas penalidades e marcou os cinco gols, sendo o último com Edson Cariús. Pela Raposa, Felipe Macena acertou a trave.

O jogo
Em vantagem, o Ferroviário não quis correr riscos no primeiro tempo e jogou com o regulamento debaixo do braço. O time cearense fechou a ‘casinha’ e deu pouco espaço para o Campinense. A Raposa teve um leve domínio da partida, mas não conseguiu passar pela marcação do rival e acabou indo para o intervalo com o 0 a 0 no placar.
O Campinense criou as melhores chances em bola parada e cruzamentos para dentro da área. No lançamento de Danilo Bala, Denilson mandou rente à trave. Willian Goiano foi outro que também recebeu por cima dentro da área, mas jogou pela linha de fundo.
xo3O maior susto, no entanto, foi quando Rafael Jensen se enrolou dentro da própria área e só não marcou contra, pois Jeferson acabou salvando. Apesar da pressão, o Campinense pareceu desesperado, enquanto o Ferroviário, bem armado, fez o que se esperava dele.
O Campinense voltou com a mesma proposta para o segundo tempo, mas conseguiu transformar as chances criadas em gols. Logo aos quatro minutos, Zeca cobrou escanteio na cabeça de Denílson, que deu um leve desvio para Jorginho. O meia pegou de voleio para fazer um bonito gol.
O gol deu ainda mais ânimo ao time paraibano, que pressionou o Ferroviário em busca do segundo gol. Thiago Potiguar recebeu de Marcelinho e cruzou para Rodrigo Silva. Ele mandou de cabeça muito perto do gol defendido por Gleibson.
E a pressão por parte da Raposa seguiu até o fim. Enquanto o Ferroviário estava satisfeito em decidir nos pênaltis, o Campinense partiu para cima e só não carimbou a classificação no tempo normal, pois a bola de Alex Murici ficou na trave.
O Campinense começou batendo e saiu na frente com Marcinho. Janeudo deixou tudo igual. Rodrigo Silva fez o segundo, assim como Luis Suares. Marcelinho desempatou, mas não por muito tempo.
Esquerdinha bateu e fez o terceiro do Tubarão. Felipe Macena chutou na trave, enquanto Marcinho colocou o Ferroviário na frente do placar pela primeira vez nas disputa dos pênaltis. Mas Jackinha deixou o Campinense vivo na disputa, até que Edson Cariús fez o dele e carimbou a classificação do time visitante à Série C.

Ficha Técnica
Campinense: Jeferson, Alex Murici, William Goiano, Rafael Jansen e Zeca; Jorginho, Felipe Macena, Marcinho e Thiago Potiguar (Jackinha); Danillo Bala (Marcelinho) e Denilson (Rodrigo Silva). Técnico: Ruy Scarpino.
Ferroviário: Gleibson, Gustavo (Vitinho), Luiz Fernando, André Lima e Sávio; Mazinho, Gleidson (Lucas Mendes), Leanderson (Esquerdinha) e Janeudo; Edson Cariús e Luís Soares. Técnico: Marcelo Vilar
Árbitro – Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Assistentes – Danilo Ricardo Simon Manis e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
Gols – Jorginho, aos 5min do 2ºT
Cartão amarelo – Rafael Jansen, Felipe Macena, Jorginho, Jackinha (C); Sávio (F)

Correio da Paraíba

xo2O Campinense venceu mas não levou. Após derrotar o Ferrroviário no tempo normal, por 1 a 0, o time rubro-negro desta vez não foi feliz nas cobranças de pênaltis e viu o sonho do acesso acabar. Na disputa, o time cearense levou a melhor e venceu por 5 a 4, ficando com a última vaga para Série D do Brasileiro de 2019.
Agora, o Ferrim se junta a São José-RS, Treze e Imperatriz-MA, que conseguiram o acesso e vaga nas semifinais no domingo. Ao Campinense, que havia vencido dois mata-matas nas penalidades, em casa, resta se reestruturar para o ano que vem.
No duelo de volta desta noite, no Amigão, o time raposeiro até que lutou para sair de campo com o acesso no tempo normal. Para isso, precisava vencer por dois ou mais gols de diferença, uma vez que havia perdido o jogo da ida por 3 a 2, em Fortaleza.
No entanto, o Tubarão da Barra foi mais competente nas penalidades e marcou os cinco gols, sendo o último com Edson Cariús. Pela Raposa, Felipe Macena acertou a trave.

O jogo
Em vantagem, o Ferroviário não quis correr riscos no primeiro tempo e jogou com o regulamento debaixo do braço. O time cearense fechou a ‘casinha’ e deu pouco espaço para o Campinense. A Raposa teve um leve domínio da partida, mas não conseguiu passar pela marcação do rival e acabou indo para o intervalo com o 0 a 0 no placar.
O Campinense criou as melhores chances em bola parada e cruzamentos para dentro da área. No lançamento de Danilo Bala, Denilson mandou rente à trave. Willian Goiano foi outro que também recebeu por cima dentro da área, mas jogou pela linha de fundo.
xo3O maior susto, no entanto, foi quando Rafael Jensen se enrolou dentro da própria área e só não marcou contra, pois Jeferson acabou salvando. Apesar da pressão, o Campinense pareceu desesperado, enquanto o Ferroviário, bem armado, fez o que se esperava dele.
O Campinense voltou com a mesma proposta para o segundo tempo, mas conseguiu transformar as chances criadas em gols. Logo aos quatro minutos, Zeca cobrou escanteio na cabeça de Denílson, que deu um leve desvio para Jorginho. O meia pegou de voleio para fazer um bonito gol.
O gol deu ainda mais ânimo ao time paraibano, que pressionou o Ferroviário em busca do segundo gol. Thiago Potiguar recebeu de Marcelinho e cruzou para Rodrigo Silva. Ele mandou de cabeça muito perto do gol defendido por Gleibson.
E a pressão por parte da Raposa seguiu até o fim. Enquanto o Ferroviário estava satisfeito em decidir nos pênaltis, o Campinense partiu para cima e só não carimbou a classificação no tempo normal, pois a bola de Alex Murici ficou na trave.
O Campinense começou batendo e saiu na frente com Marcinho. Janeudo deixou tudo igual. Rodrigo Silva fez o segundo, assim como Luis Suares. Marcelinho desempatou, mas não por muito tempo.
Esquerdinha bateu e fez o terceiro do Tubarão. Felipe Macena chutou na trave, enquanto Marcinho colocou o Ferroviário na frente do placar pela primeira vez nas disputa dos pênaltis. Mas Jackinha deixou o Campinense vivo na disputa, até que Edson Cariús fez o dele e carimbou a classificação do time visitante à Série C.

Ficha Técnica
Campinense: Jeferson, Alex Murici, William Goiano, Rafael Jansen e Zeca; Jorginho, Felipe Macena, Marcinho e Thiago Potiguar (Jackinha); Danillo Bala (Marcelinho) e Denilson (Rodrigo Silva). Técnico: Ruy Scarpino.
Ferroviário: Gleibson, Gustavo (Vitinho), Luiz Fernando, André Lima e Sávio; Mazinho, Gleidson (Lucas Mendes), Leanderson (Esquerdinha) e Janeudo; Edson Cariús e Luís Soares. Técnico: Marcelo Vilar
Árbitro – Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Assistentes – Danilo Ricardo Simon Manis e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
Gols – Jorginho, aos 5min do 2ºT
Cartão amarelo – Rafael Jansen, Felipe Macena, Jorginho, Jackinha (C); Sávio (F)

Correio da Paraíba