Mulher é presa acusada de mandar matar amiga em Campina

Policiais da Delegacia de Homicídios em Campina Grande cumpriram um Mandado de Prisão Preventiva contra uma mulher acusada de ser a “mentora intelectual” de um assassinato ocorrido em maio deste ano no Bairro Pedregal.
A vítima foi Josefa Simone Pereira de Amorim.
A mulher presa é Gediane Azevedo, conhecida como “flor”, de 35 anos.
De acordo com o comunicado da delegada Ellen Maria, “o motivo do homicídio seria uma apreensão de droga ocorrida no dia anterior, contudo, existem indícios de que ‘flor’ disputaria com a vítima a atenção da companheira de outra mulher. Durante o cumprimento do mandado de prisão e de buscas domiciliares foram apreendidas 71 pedras de crack, duas porções de cocaína e uma balança de precisão”.
Gediane também vai responder por de tráfico de entorpecentes.

O CRIME
Josefa Simone Pereira de Amorim, de 37 anos de idade, que morava em frente a escola estadual Monte Carmelo, no Bairro Pedregal, em Campina Grande, foi assassinada com tiros de revólver, espingarda e golpes de faca.
“Ninguém” viu o crime ou pelo menos ninguém quis se pronunciar sobre o caso.
Foram ouvidos apenas os disparos, disseram os vizinhos.
A companheira dela disse que apenas ouviu os tiros e quando abriu a porta viu a Simone já sem vida.
Josefa Simone tinha acabado de sair de casa por volta das 06h00 da terça, 29 de maio, quando foi alvejada e esfaqueada.
Foram 11 perfurações de faca, três tiros de revólver e um de espingarda.
Ela tinha uma filha de 16 anos.
A delegada Nercília Dantas e equipe investigaram o homicídio.

(Do www.renatodiniz.com)

Policiais da Delegacia de Homicídios em Campina Grande cumpriram um Mandado de Prisão Preventiva contra uma mulher acusada de ser a “mentora intelectual” de um assassinato ocorrido em maio deste ano no Bairro Pedregal.
A vítima foi Josefa Simone Pereira de Amorim.
A mulher presa é Gediane Azevedo, conhecida como “flor”, de 35 anos.
De acordo com o comunicado da delegada Ellen Maria, “o motivo do homicídio seria uma apreensão de droga ocorrida no dia anterior, contudo, existem indícios de que ‘flor’ disputaria com a vítima a atenção da companheira de outra mulher. Durante o cumprimento do mandado de prisão e de buscas domiciliares foram apreendidas 71 pedras de crack, duas porções de cocaína e uma balança de precisão”.
Gediane também vai responder por de tráfico de entorpecentes.

O CRIME
Josefa Simone Pereira de Amorim, de 37 anos de idade, que morava em frente a escola estadual Monte Carmelo, no Bairro Pedregal, em Campina Grande, foi assassinada com tiros de revólver, espingarda e golpes de faca.
“Ninguém” viu o crime ou pelo menos ninguém quis se pronunciar sobre o caso.
Foram ouvidos apenas os disparos, disseram os vizinhos.
A companheira dela disse que apenas ouviu os tiros e quando abriu a porta viu a Simone já sem vida.
Josefa Simone tinha acabado de sair de casa por volta das 06h00 da terça, 29 de maio, quando foi alvejada e esfaqueada.
Foram 11 perfurações de faca, três tiros de revólver e um de espingarda.
Ela tinha uma filha de 16 anos.
A delegada Nercília Dantas e equipe investigaram o homicídio.

(Do www.renatodiniz.com)