Aluno que humilhou professor no RJ pode pegar até 9 anos de prisão, diz polícia

O aluno maior de idade que aparece nas imagens onde estudantes humilham um professor em Rio das Ostras (RJ) pode pegar até nove anos de prisão por conta dos crimes, que incluem corrupção de menores e dano ao patrimônio público. Quatro envolvidos já foram identificados, sendo três adolescentes.
O caso aconteceu no Ciep Mestre Marçal e o vídeo, que mostra até um aluno arremessando um objeto da direção do professor, foi parar nas redes sociais.

“Com base nas imagens e no que nós vimos [durante a vistoria na escola], nós capitulamos como desacato, dano ao patrimônio público e, para o maior [de idade], corrupção de menores, porque ele teria praticado esses fatos em concurso com os menores de idade. Então, por exemplo, para esse maior, somando todas essas penas, ele estaria sujeito a até nove anos de prisão”, disse o delegado Carmelo Santa Lúcia, da 128ª Delegacia de Polícia.
“Vai matar o professor, cara? Faz isso não. O cara te dá aula, o cara é maneiro”, diz um colega em um dos trechos do vídeo. Ele recebe a resposta do aluno que afrontava o educador: “O cara nunca mais vai dar”.
O professor Thiago dos Santos Conceição disse que tem medo de voltar à Rio das Ostras depois das ameaças. Nas imagens, ele permanece calmo durante todo o tempo em que é provocado pelos estudantes.
“Eu não posso voltar a Rio das Ostras porque dentro dessas ameaças, alunos pediram para eu tomar cautela, para eu ter cuidado para não ser morto”, disse o professor durante a entrevista dada à TV Globo.
O delegado vai colher o depoimento de testemunhas, do professor e de outros professores para comprovar a gravidade das ameaças.
“Porque se ocorreu [a ameaça de morte], sem dúvidas vai agravar demais a situação dos envolvidos”, disse Carmelo Santa Lúcia.
Durante a vistoria realizada nesta sexta-feira (21) na escola, a polícia apreendeu objetos, como a calça que foi arremessada contra Thiago quando ele escrevia no quadro.
O delegado disse que foi solicitada a perícia do local para constatar, por exemplo, os danos ao patrimônio público.
“O quadro está quebrado, o local está completamente pichado, pichações de órgãos genitais, pichações de apologia à facções criminosas”, afirmou Carmelo. O inquérito para apurar a humilhação sofrida pelo professor foi aberto pela Polícia Civil na quarta-feira (20).
Alunos pedem desculpas após o episódio
Um dos estudantes chegou a gravar um vídeo pedindo desculpas ao professor que foi humilhado. No vídeo, o aluno começa dizendo que “ninguém é perfeito (…) todo mundo já teve um momento de criança, fazendo o ‘bagulho’ no embalo”.
Depois o estudante pede desculpas ao docente. “Queria pedir desculpa pelo acontecido (…) pelo fato de eu ter feito o que fiz na sala de aula, por ter ‘tacado’ o objeto, não no professor, mas no quadro, e quase pegou nele, por ter ficado brincando com a prova dele”, disse.
“Ninguém gosta, né? Nenhum ser humano gosta de ser tratado assim. Mas na hora do embalo, acaba fazendo, acaba não raciocinando nas consequências”, explicou o estudante.
O aluno diz ainda que reconhece o erro que cometeu.
“Por isso estou aqui pedindo desculpa (…) reconheço meu erro (…) errei com o professor, que eu não gostaria de ter tratado assim. Isso não é coisa que se faça com ninguém, depois que a gente para pra raciocinar que vê que a gente agiu errado”.
“Isso é coisa de marginal, de vacilão, a gente tá na escola para estudar, e não para ficar da debochando da cara de ninguém, principalmente do professor “, finaliza o jovem.
Avó de estudante pede desculpas
Em entrevista para ao RJ Inter TV 2ª Edição, a avó do aluno falou sobre o assunto e disse que não foi “essa” a educação que deu ao neto. Ele pediu desculpas por ele.
“Eu te peço, como avó, que você me perdoa. Me dê o seu perdão, pelo meu neto, porque não foi essa a criação que eu dei a ele”, lamentou a avó, acrescentando:
“Se acontece essas coisas na escola não foi por causa da educação que eu dei a ele. Mas também não vou dizer que ele foi pela cabeça dos outros, porque ele não é piolho. Ele tem que saber o que a cabeça dele diz e ele sabe é que certo”, completou a avó.

Posicionamento da Secretaria de Educação
Por meio de nota enviada pela assessoria de comunicação da Prefeitura, a Secretaria de Educação de Rio das Ostras disse os alunos envolvidos foram imediatamente suspensos e que outras medidas socioeducativas estão sendo analisadas.
A Prefeitura afirmou também que o professor receberá todo o suporte jurídico e psicológico, e que tomará medidas para que o apoio aos educadores, também na área psicológica, seja ampliado.
Segundo o município, o professor já havia relatado que sofria agressões verbais, inclusive de cunho racista. As agressões mostradas no vídeo foram informadas pelo professor à ouvidoria na terça-feira (18).
“Segundo a direção da escola, a turma é formada por alunos que vieram transferidos de outra unidade de ensino, e muitos deles são indisciplinados. No entanto, ainda não tinham sido registrados episódios como os ocorridos nesta semana”, pontuou a nota.
G1

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial