Presidente do PT da PB categoriza apreensão de manifesto como “processo inquisitório”

O presidente estadual do PT da Paraíba, Jackson Macêdo, comentou sobre a apreensão na manhã desta quinta-feira (25) de panfletos de um manifesto em defesa da democracia e da universidade pública. Para Jackson, se trata de um “processo inquisitório” perpetrado por uma “ditadura do judiciário”. Veículos de comunicação deram a informação de que o material faria campanha para Fernando Haddad (PT), fato que foi negado pelo dirigente.
“É um processo inquisitório e nós iremos tomar as medidas cabíveis. O material foi elaborado por sindicalistas e professores acadêmicos, em um ambiente universitário, e não era campanha para Haddad. Estamos vivendo uma ditadura do judiciário”, afirmou.

Entenda
O juiz eleitoral da propaganda de rua responsável pela ordem de busca e apreensão, realizada pela Polícia Federal (PF), Horácio Ferreira de Melo Júnior, alegou que os panfletos faziam campanha de um presidenciável em um espaço público, o que seria vedado pela legislação eleitoral.

 

 

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial