Eleitor de Bolsonaro e PM brigam no WhatsApp no Piauí e um deles é morto a tiros. Veja vídeo e escute o áudio

Um policial militar é suspeito de matar um homem, identificado como Rodrigo Magalhães de Brito (FOTO), que teria ameaçado ele com uma arma de fogo, na tarde desta segunda-feira (29), no município de Piracuruca, Norte do Piauí. De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima teria feito ameaças ao PM em grupo de WhatsAPP do qual os dois participavam.
Procurada pelo G1, a Polícia Militar do Piauí informou que a morte de Rodrigo Magalhães foi resultado de uma abordagem policial e que a Corregedoria tomará as providências cabíveis ao caso.
Segundo a PM, a vítima foi vista em uma festa de comemoração do resultado das eleições, na noite desse domingo (28), portando uma arma de fogo. Um vídeo em que um homem, que seria Rodrigo Magalhães, aparece dentro de um carro segurando um revólver para cima foi compartilhado nas redes sociais.
A polícia informou ainda que foi acionada, mas quando chegou ao local não encontrou o homem. Depois, ele teria ameaçado o policial suspeito de efetuar os disparos por meio de mensagens de áudio enviadas para um grupo de Whatsapp, do qual os dois participavam.
“Esse rapaz estava ontem na carreata do Bolsonaro exibindo arma de fogo. Ele começou a ameaçar os policiais que estavam lá e ameaçou esse cabo em um grupo que eles participavam. O policial conversou com ele, pediu para ele se apresentar e o rapaz o ameaçou”, informou o tenente-coronel Erisvaldo Viana, comandante do 12º BPM em Piripiri.
O tenente-coronel Erisvaldo Viana disse que o cabo foi ao quartel chamar uma guarnição para prender Rodrigo e foi seguido por ele. “Quando o policial viu que o rapaz estava armado, verbalizou com ele para que entregasse a arma e o mesmo não entregou, saiu com a arma em punho para cima do PM e o cabo em legítima defesa acabou efetuando três disparos”, contou.
Conforme a PM, a vítima foi atingida com dois disparos na região do peito e morreu no local. A Polícia Civil foi acionada para investigar o crime e o policial militar suspeito de efetuar os disparos se apresentou na delegacia do município para prestar depoimento sobre o ocorrido.
Procurada, a Secretaria de Segurança Pública comunicou que vai se posicionar após recolher os depoimentos preliminares do caso.

OUTRA VERSÃO:
Segundo informações de testemunhas os dois homens faziam parte de um grupo na rede social em apoio presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). A discussão no grupo de WhatsApp teria sido iniciada porque a vítima, identificada como Rodrigo Magalhães, teria sido filmada ostentando uma arma durante as comemorações de apoiadores pela eleição do candidato do PSL no último domingo (28/10).
Apoiadores do presidente eleito, que também participavam do grupo, não gostaram da atitude de Rodrigo. “Os outros membros do grupo foram dar conselhos para ele, pois as pessoas já criticam o Bolsonaro por conta das armas. Então, os integrantes do grupo foram pedir que ele parasse de exibir a arma”, explicou a fonte.
No entanto, o homem não gostou e também não seguiu as orientações dos amigos. “Ele não gostou do que falaram e começou a comprar briga com todos do grupo”. Entre os membro do grupo estava um policial militar, identificado como Tertulino Carvalho Neto. Assim como os outros integrantes do grupo, o PM tentou dialogar com Rodrigo Magalhães.
No entanto, a reação do apoiador de Bolsonaro foi extremista. Em áudios disponibilizados ao OitoMeia, o homem xinga os companheiros de ‘vagabundos’ e pede que aqueles que não gostaram da atitude se identifiquem. Em um print disponibilizado à reportagem, o policial militar se manifesta no grupo.
Ele nomeia Rodrigo de valentão e pede que ele diga onde está para que os dois pudessem ‘resolver’ o empasse. “Valentão dos áudios, diga a sua localização e vamos resolver agora”, escreveu o policial no grupo de WhatsApp Bolsonarianos de Piracuruca.
Rodrigo então, respondendo o desafio de Tertulino, revela onde está e o chama para um encontro. “Você é valentão?” questiona. “Se você é valentão vamos já marcar. Você poder vir, pode cair pra dentro, que eu estou lhe esperando. Venha você e pode trazer outros. Caia pra dentro que eu acerto os seus ponteiros”, provoca.
As informações seguintes obtidas pela reportagem são de que a vítima foi baleada com um tiro na cabeça pelo policial militar, no bairro Esplanada, em Piracuruca. O policial alegou legítima defesa. De acordo com a fonte, quando a polícia o abordou, Rodrigo portava uma espingarda de calibre 12 e tentou desferir disparos contra a força policial. Após o embate, ele veio a óbito imediatamente.
No momento, a Polícia Civil de Piracuruca está com o caso e realiza investigação para entender o que aconteceu.

CONFIRA A NOTA DA POLÍCIA MILITAR DO PIAUÍ:
A Polícia Militar do Piauí informa que no dia 28/10/18, Rodrigo Magalhães de Brito estava em uma carreata na cidade de Piracuruca, portando uma pistola e mostrando para as pessoas, quando a PMPI chegou ao local o individuo já tinha evadido. Nesta tarde, a Polícia Militar foi efetuar a prisão de Rodrigo em virtude de ameaças no WattsApp. No momento da prisão o policial verbaliza e pede para Rodrigo soltar a arma. Ele sai em fuga e a Policia Militar começa o acompanhamento. Em seguida, houve abordagem policial e acabou sendo alvejado durante a intervenção. O Policial Militar apresentou-se espontaneamente no Distrito Policial e está dando seu depoimento ao Delegado titular de Piracuruca. A Corregedoria da PMPI tomará todas as providências.

ESCUTE O AUDIO:

VEJA O VIDEO:

G1 PI

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial