Mostra Estadual de Teatro, Dança e Circo terá 27 espetáculos

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba abre as cortinas do secular Teatro Santa Roza, que em 2019 comemora 130 anos, para a retomada de um dos eventos mais importantes do calendário cultural do estado. Trata-se da Mostra Estadual de Teatro, Dança e Circo, que começa nesta sexta-feira (22) e se estende até o dia 30. A solenidade de abertura acontece às 18h. Durante nove dias, serão apresentados 27 espetáculos, debates, oficinas e discotecagem após as encenações. Os ingressos para as apresentações custam R$ 4 (inteiro) e R$ 2 (meia entrada). A bilheteria abre às 16h, com exceção do sábado (30), quando abrirá às 15h. .
Após a abertura oficial, será apresentado, às 8h30, o espetáculo de dança “Bagaço”, com o +Um Coletivo de Arte (João Pessoa), no palco principal. Em seguida, às 19h30, o Coletivo Teatral Ser Tao Teatro (João Pessoa) apresenta “Alegria de Náufragos”. Na lona montada na área externa, a Cia. Trupeçando (Campina Grande) apresenta “Trupeçando, a Trupe de um Homem Só”, a partir das 20h30.
No dia seguinte às apresentações dos espetáculos, haverá sempre debate com Eleonora Montenegro (Teatro), Marcelo Sena (Dança) e Williams Santana (Circo), às 16h, na área externa do Teatro Santa Roza. Para os espetáculos que acontecem no dia 30 de março, os debates ocorrerão logo após a apresentação.
É a primeira edição da Mostra após a reforma do teatro, concluída em dezembro de 2016. Em seu retorno, o projeto presta homenagens a Luizinho de Pombal, Guilherme Schulze e Montagem Circos, pela contribuição à cultura paraibana e pela dedicação intensa ao teatro, dança e circo, respectivamente. Além dessas, estão programadas duas homenagens póstumas – Simão Cunha e Waldemar Dornellas.

Som na Mostra
Nas sextas e sábados, após as apresentações de espetáculos, haverá discotecagem na área externa que, resgatando a memória afetiva do local, ganha o nome de Bar dos Artistas durante o período da mostra. Na sexta-feira (22), a discotecagem conta com D.M.G. e no sábado (23), fica por conta de Amaro Mann. No fim de semana seguinte, a sexta-feira (29) o som é comandado por Radiola Jamaicana e no sábado (30), pelo projeto Groove da Gota.

Espetáculos
No retorno do projeto, a seleção dos espetáculos foi feita por meio de edital, dando oportunidade igualitária aos grupos de participar do evento de forma democrática. A curadoria de teatro foi formada por Duílio Cunha, teatrólogo, professor da UFCG e diretor em Teatro pela UEPB, Suzy Lopes, coordenadora de Teatro da Funesc, atriz e mestra em Teatro Paraibano dos ano 90 pela UEPB e Renata Mora, diretora de ações culturais da Funesc e produtora cultural.
A curadoria de dança foi feita por Ângela Navarro, artista de dança e coordenadora dessa linguagem artística na Funesc e Bia Cagliani, bailarina e gerente de Dança da Secult. Já a curadoria de circo ficou sob responsabilidade de Diocelio Barbosa, mestre em Artes Cênicas e Gerente Operacional de Circo/Funesc, Josemberg Pereira, artista circense e professor da escola Livre de circo da Funesc, além de Zezo Oliveira, artista, produtor, educador e gestor cultural (PE). Para chegar à seleção, os curadores observaram, além da qualidade técnica das produções concorrentes, as exigências do edital.
Cada espetáculo participante receberá cachê de R$ 2 mil mais o faturamento de sua respectiva bilheteria. A mostra não tem caráter competitivo.

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial