Polícia pede mais prazo para investigar caso em que Neymar é acusado de estupro

A Polícia Civil de São Paulo pediu, nesta segunda-feira (1º), mais prazo para investigar a denúncia contra Neymar. A delegada Juliana Lopes Bussacos, responsável pelo inquérito, protocolou o pedido na Vara da Infância Doméstica, em Santo Amaro.
O inquérito, que apura a acusação de estupro e agressão feita pela modelo Najila Trindade Mendes de Souza contra o jogador, foi transferido na tarde desta segunda-feira para a Vara de Violência Doméstica de Santo Amaro porque a delegada responsável pelo caso concluiu que havia uma relação íntima de afeto entre os dois.
A partir daí o Ministério Público deve manifestar se concorda ou não com o pedido da delegada. Só então o juiz responsável pode determinar o prazo extra que a 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), na Zona Sul de São Paulo, terá para finalizar o inquérito.
Caso a delegada opte por encerrar o inquérito, ele seguirá para a Justiça e o Ministério Público irá se manifestar. Os promotores terão então três opções: pode pedir o arquivamento do caso, denunciar ou pedir novas diligências.
As imagens de câmeras de segurança do hotel em Paris onde Neymar se encontrou com Najila, solicitadas pela polícia na semana passada, ainda não foram acessadas pelos investigadores. As imagens já estão no Brasil mas as autoridades francesas entendem que só podem ceder os vídeos com autorização judicial.
G1

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial