Empresa anuncia primeira clonagem de gato na China

Uma empresa de Pequim conseguiu clonar um gato pela primeira vez na China, um avanço científico que poderia levar à clonagem de outros animais, como os pandas, informou a agência France Presse.
Sete meses depois da morte de seu gato, Ajo, o proprietário do animal, Huang Yu, passou a conviver com uma cópia do felino.
“Se parece em mais de 90%”, afirmou o jovem chinês de 23 anos, que espera que o gato, nascido em julho de uma gata portadora, tenha a mesma personalidade que o original.
Clonagem de cães, gatos e até macacos
Ajo é o primeiro gato clonado pela Sinogene, uma empresa que desde 2017 já clonou mais de 40 cães.
Em 2018, a mesma empresa clonou Juice, um vira-lata de 30 centímetros de altura e 9 anos de idade, famoso por aparecer em centenas de filmes e produções no país.
No caso do Juice, amostras de pele foram coletadas do abdômen inferior do cão e, em algumas semanas, a empresa Sinogene foi capaz de isolar o DNA e fertilizar um óvulo.
O óvulo fertilizado foi inserido cirurgicamente no útero de uma cachorra que seria a ‘mãe’ substituta – neste caso, o NTR1917, uma beagle.
Little Juice nasceu em meados de setembro e ficou com beagle no laboratório de Sinogene por cerca de um mês.
Também em 2018, pesquisadores do Instituto de Neurociência da Academia Chinesa de Ciências, em Xangai, anunciaram a clonagem de macacos usando a mesma técnica aplicada na ovelha Dolly.
Os primatas, dois macacos de cauda comprida, foram criados através da transferência nuclear de células somáticas, ou seja, a partir de células do tecido de um macaco adulto
Como os macacos são primatas – ordem dos mamíferos que inclui macacos, símios e humanos –, o experimento foi visto como um passo em direção à clonagem de humanos, o que abre uma discussão sobre a ética do procedimento.

O mercado dos pets na China
Nas últimas décadas os chineses se apaixonaram pelos animais domésticos, que eram proibidos durante o período do governo de Mao Tsé Tung.
Quando eles morrem, os proprietários destes pets, com frequência traumatizados pela perda de seus mascotes, estão dispostos a pagar 250 mil yuanes (35 mil dólares) pela clonagem de um gato ou 380 mil (53 mil dólares) por um cão.
De acordo com um relatório da organização “Pet Fair Asia” e do site “Goumin.com”, os gastos relacionados com animais domésticos representaram no ano passado 171 bilhões de yuanes (23,7 bilhões de dólares).

Avanço da técnica
A clonagem de um gato poderia permitir o avanço no processo para clonar um panda, algo que a China tenta fazer há 20 anos.
Chen Dayuan, da Academia Chinesa de Ciências, afirmou no mês passado que a organização estava estudando a possibilidade de clonar um panda utilizando uma gata como mãe portadora.
Embora um panda seja muito maior que um gato na idade adulta, ao nascer o seu tamanho é similar e a gestação dura entre dois e três meses.
Foto: STR/AFP
G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial