Tufão Hagibis deixa mortos e milhares sem energia elétrica no Japão

O tufão Hagibis, um dos mais poderosos das últimas seis décadas na região, chegou ao Japão neste sábado (12) com fortes ventos, provocando inundações e deslizamentos. Duas pessoas morreram, 90 ficaram feridas e 10 estão desaparecidas, de acordo com a emissora japonesa NHK.
Milhões de pessoas ficaram confinadas em casa e as ruas ficaram desertas na capital, Tóquio. O aeroporto Haneda de Tóquio e o aeroporto Narita em Chiba interromperam suspenderam mais de mil voos (principalmente domésticos). Mais de 430 mil casas estão sem energia elétrica.
As autoridades emitiram alertas e ordens para deixar as casas para mais de 6 milhões de pessoas em todo o país. Cerca de 17 mil policiais e militares foram mobilizados para as operações de resgate.
O tufão tocou o solo em Shizuoka, na península de Izu, no sudeste de Tóquio, às 19h (no horário local). Um terremoto de magnitude 5,7 sacudiu Tóquio logo depois.
Os operadores de trens suspenderam extensivamente os serviços de trens-bala, enquanto muitas linhas de trem e metrô em Tóquio também ficaram inativas na maior parte do sábado. Normalmente, os movimentados bairros de entretenimento e compras, como Shibuya e Ginza, estavam desertos.
A Tóquio Disneyland foi fechada no sábado, seu primeiro fechamento relacionado ao clima desde 1984, e os supermercados ficaram sem água engarrafada, baterias e outros produtos relacionados a desastres.

Mortos
O tufão deixou dois mortos até o momento. “Um homem de 49 anos foi encontrado morto em uma caminhonete virada”, disse Hiroki Yashiro, porta-voz do departamento de Bombeiros de Ichihara, em Chiba. Uma pessoa morreu no desabamento de uma casa em Tomioka.
A agência meteorológica alertou para os fortes ventos e mar violento na madrugada de domingo (13) em muitas regiões do país. Há previsão de que as rajadas de vento cheguem a até 216 km/h.
Também são esperadas fortes chuvas em algumas regiões, com, por exemplo, 500 mm em 24 horas na área de Tóquio e até 800 mm no centro do país, de acordo com a JMA.

Transportes
As autoridades temem que o tufão gere caos nos transportes, porque sua passagem coincide com um fim de semana prolongado no país. Como segunda-feira (14) é feriado, muitos japoneses planejavam viajar de trem ou avião.
As duas principais companhias aéreas, JAL e ANA, cancelaram várias centenas de voos regulares neste sábado, principalmente domésticos.
Todos os trens de alta velocidade (Shinkansen) entre Tóquio e Nagoya foram cancelados, e também os que ligam Nagoya e Osaka (oeste).

Fábricas e parques
As fábricas do país também se adaptaram, como a Toyota, que previa o fechamento de três de suas unidades neste sábado, segundo a agência de imprensa Kyodo.
Os dois parques de diversões da Disney em Tóquio também fecharão neste sábado, disse um porta-voz da empresa que os administra, a Oriental Land.

F-1 e Copa do Mundo de Rúgbi
Os organizadores do Grande Prêmio de Fórmula 1 de Suzuka, perto de Nagoya (centro da cidade), cancelaram todo o programa deste sábado: os treinos livres foram limitados a sexta-feira e os de classificação para domingo de manhã, pouco antes do início da corrida.
Duas partidas da Copa do Mundo de Rúgbi marcadas para este sábado foram canceladas na quinta-feira: França-Inglaterra em Yokohama e Nova Zelândia-Itália, encontros que atrairiam cerca de 115.000 espectadores.

Tufão Faxai
No início de setembro, a região de Tóquio foi atingida pelo poderoso tufão Faxai, com rajadas superiores a 200 km/h. A tormenta causou pelo menos duas mortes e mais de cem feridos e danificou dezenas de milhares de casas e inúmeras infraestruturas elétricas.
Na prefeitura de Chiba, periferia de Tóquio, quase um milhão de residências ficaram sem energia, e em dezenas de milhares delas, a corrente elétrica só retornou duas semanas depois.
Foto: Imprensa Jiji / via AFP Photo
G1

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial