Estagnação econômica, crise política e ataques a instituições e a Democracia, colocam o Brasil no caminho do atraso

O Brasil vive um momento delicado, de estagnação econômica, de regressão, crise política e ataques a instituições e a Democracia. É bom lembrar que esta crise moral e ética que assola o país e que o levou a este momento de recessão econômica começou com a retirada do poder da ex-presidente Dilma Roussef, em 2016, onde as forças retrogradas que sempre triunfaram neste país se uniram para desmontar o Estado, dissolver as políticas sociais e entregar as riquezas do povo ao rentismo internacional.
O modo descarado como age a elite brasileira é sempre o mesmo, usa sempre como pano de fundo a corrupção para dar golpes que encerram ciclos de governos que ousam implantar políticas que beneficiam pobres. Foi assim com Getúlio Vargas, aquele que fez a modernização do Brasil com industrialização, integração e com legislação trabalhista que protegeu o trabalhado até bem pouco tempo, antes do golpe de 2016. Foi da mesma forma com Juscelino Kubitschek e com Dilma Roussef.
Sabe-se de antemão, que a corrupção é feita e age de outra forma, o sistema financeiro aí está para ilustrar isso, no entanto, é mais fácil criminalizar a política e atacar as forças progressistas, deixando bem claro que tudo tem que ser mantido com a concentração de renda, riqueza de poucos e a miséria da maioria, que nesta lógica deve sempre reconhecer seu lugar de servir a esta elite atrasada e que se sente ameaçada quando o povo ascende social e economicamente.
Desta maneira, as forças obscuras optaram logo por encarcerar injustamente e sem nenhum crime comprovado, Luiz Inácio (Lula) da Silva, o homem, o político, o estadista, o maior presidente que o Brasil já teve e que mais fez pelo povo pobre desta nação, porque ele fez e pensou políticas de inclusão para pobres-, e fazer pelos pobres, desagrada a elite que tem pensamento arcaico, retrógrado e atrasado, achando que pobre não deve sair da miséria-, portanto este foi o crime cometido por Lula.
Basta dizer e é interessante mostrar que Lula juntamente com o Partido dos trabalhadores (PT), seu partido, criou vários programas sociais que distribuíram renda e melhoraram a vida do povo brasileiro, entre eles, podemos citar o ProUni, Luz para Todos, Samu, Fies, Upa, Minha Casa Minha Vida, PAC, e tantos outros, que ajudaram à população sair da miséria e se libertar do domínio daqueles que historicamente só criaram políticas de manutenção da pobreza e da escravidão e subserviência.
Logicamente que isto não ia da certo, pobre andar de avião, comprar carro, móveis? Nem pensar, os políticos representantes desta engrenagem que existe há séculos, não aceitam e se articularam pra acabar com tudo isso, juntaram-se com o capital especulativo internacional e com a mídia, levando ao poder um projeto capitaneado por uma pessoa inapta, sem capacidade intelectual e com fortes crises de desequilíbrio emocional. Notadamente, que para tudo dar certo neste projeto pensado para ricos, colocaram um representante do rentismo, o Paulo Guedes, representante da Escola de Chicago, este é que faz o “bom trabalho” de acabar com os direitos do povo entre eles, a aposentadoria, além de entregar as riquezas do país ao imperialismo econômico.
O resultado de tudo isso é a exclusão social, desemprego massivo já com 13 milhões de trabalhadores e o fim das políticas sociais, de modo que em um curto espaço de tempo o pobre estará totalmente desassistido no tocante a saúde e a educação, quem puder que pague, é assim o pensamento dos que (des)governam este país continental, atualmente.
Por isso, tanto ódio e desespero, disseminado e destilado por setores e até por pessoas beneficiadas pelas políticas sociais do governo progressista, pessoas que servem apenas como massa de manobra e que seus argumentos são apenas os ataques a quem mostra a realidade do que realmente está acontecendo.
Mesmo com a perseguição ao principal líder do povo, politicamente ele (Lula) está vivo politicamente e livre em breve e seus seguidores e apoiadores não o abandonam, juntos caminham forte rumo ao pleito vindouro, para novamente verem triunfar o projeto da alegria, da luz e da esperança, sempre dizendo não a quem representa as trevas e a escuridão. Consciência, afinal, resistência e vitória são possíveis, depende apenas do povo livre e sonhador desta nação.

Por Josinaldo Neves, jornalista, radialista e mestrando em Desenvolvimento Regional

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial