Joias históricas são furtadas de museu em Dresden, na Alemanha

Conjuntos de joias do século 18 foram furtados na madrugada desta segunda-feira (25) de um museu barroco no Castelo de Dresden, no leste da Alemanha, informou a polícia.
Os itens, feitos de diamantes, rubis, esmeraldas e safiras, segundo a BBC, foram levados do Cofre Verde do museu.
Inicialmente, a informação do tabloide alemão “Bild” era de que as joias furtadas valeriam até 1 bilhão de euros (cerca de R$ 4,6 bilhões), mas a diretora do castelo, Marion Ackermann, afirmou que não é possível definir um valor para as relíquias.
Segundo a diretora, não haveria como vendê-las no mercado aberto, por serem muito conhecidas.
“Não estamos trabalhando com um valor financeiro”, afirmou Ackermann.
O alvo dos ladrões eram vitrines no Quarto das Joias, dentro do Cofre Verde, de acordo com o jornal alemão “Tagesspiegel”. As vitrines abrigavam três conjuntos de joias: um conjunto de diamantes e um conjunto de brilhantes, de 37 peças cada, e jóias com diamantes e pérolas com cerca de 20 peças no total.
A informação anterior era de que três de 10 conjuntos tivessem sido envolvidos no crime, mas, naquele momento, a equipe forense ainda estava na cena do crime, e por isso não era possível saber quantas peças exatamente tinham sido furtadas.
O diretor do Cofre Verde, Dirk Syndram, disse esperar que nem todo o conteúdo tenha sido levado.
“Estamos falando aqui de objetos de valor cultural incomensurável”, disse Dirk Syndram, diretor do Cofre Verde. “É quase uma herança cultural mundial. Não há outro lugar com uma coleção de joias dessa forma, qualidade e quantidade”.
Imagens de câmeras de segurança mostraram dois homens invadindo o cofre do palácio barroco de Dresden através de uma janela com grades. Depois, eles quebraram três vitrines e levaram as peças, segundo a Reuters. Mas pode ter havido outros envolvidos no furto.
O governador do estado da Saxônia, Michael Kretschmer, expressou indignação com o crime.
“Os objetos de valor abrigados no Cofre Verde e no Castelo foram adquiridos por pessoas no Estado Livre da Saxônia com dificuldade, por muitos séculos”, declarou. “Não apenas as coleções de arte do estado foram assaltadas, mas também o povo da Saxônia”.
Segundo o jornal britânico “The Guardian”, os ladrões começaram um incêndio no início da madrugada que levou a um corte de energia – e, assim, a uma falha nos alarmes de segurança.
A polícia fechou o acesso ao castelo depois do furto. Os oficiais também encontraram um carro em chamas em Dresden que pode ter sido o veículo de fuga usado pelos ladrões, segundo a BBC.

Coleção histórica
O Cofre Verde é chamado assim porque alguns quartos dele foram decorados com tinta verde malaquita. Ele fica dentro do Castelo de Dresden, um antigo palácio real. Os itens mais valiosos estão na seção histórica do palácio, no térreo, diz a BBC.
A coleção foi criada por Augusto, O Forte, comandante da região da Saxônia. Os tesouros incluem uma safira de 648 quilates – um presente real do (imperador) da Rússia Pedro, o Grande.
G1

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial