Parasita, 1917 e mais: confira os vencedores do Oscar 2020

Aconteceu, neste domingo, a 92ª edição do Oscar, prêmio cinematográfico realizado anualmente pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. O evento é considerado o de mais prestígio da temporada de premiações, além de ser responsável por concluir o ano anterior para os grandes longa-metragens – como, neste caso, os filmes “Coringa” e 1917″, que receberam respectivamente 11 e 10 indicações -. A cerimônia aconteceu no Teatro Dolby, salão no distrito de Hollywood, em Los Angeles, que é palco para a premiação desde 2002.
O maior vitorioso da noite foi Parasita, fazendo história com a primeira indicação e vitória na principal categoria para um filme estrangeiro. Ao todo, o filme recebeu 4 estatuetas – Melhor Filme, Melhor Roteiro Original, Melhor Diretor e Melhor Filme Estrangeiro.
Mas nem só de entregas de estatuetas vive o Oscar: ainda que sem apresentador geral, Brie Larson e Jane Fonda foram alguns dos nomes que se destacaram como apresentadoras, enquanto entregavam os prêmios para os vencedores de trilha sonora e figurino, respectivamente.
Além disso, uma apresentação musical emocionante tomou conta da noite: ao lado de Idina Menzel, outras 9 dubladoras da rainha do gelo Elsa se uniram para uma interpretação da música “Minha Intuição”, presente na trilha sonora de “Frozen 2” – que, ao contrário do esperado, acabou não recebendo uma indicação para Melhor Animação.
Confira, abaixo, todos os vencedores das 24 categorias do Oscar:

Melhor ator coadjuvante
• Brad Pitt – “Era uma Vez em… Hollywood”
Por seu papel no longa de Quentin Tarantino, “Era uma Vez em… Hollywood”, Brad Pitt foi quem recebeu a primeira estatueta da noite. Interpretando o dublê Cliff Booth, essa é a segunda indicação e a primeira vitória do ator na categoria. Em 1996, foi indicado por “Os Doze Macacos”, mas acabou perdendo para Kevin Spacey por “Os Suspeitos”.

Melhor animação
• Toy Story 4
Já o prêmio de melhor filme animado foi para “Toy Story 4”, a quarta parte do primeiro longa-metragem lançado pelos estúdios Pixar. Mostrando bastante evolução na técnica de animação, – como o filme foi o único da Disney a concorrer na categoria.

Melhor animação em curta-metragem
• Hair Love
Uma das animações da categoria que mais se popularizou, “Hair Love” mostra um pai afro-americano aprendendo a lidar com os pequenos problemas do cotidiano de sua filha, Zuri, como pentear o cabelo. O curta foi produzido pela Sony e dirigido por Matthew A. Cherry, Everett Downing Jr. e Bruce W. Smith.
Frozen into the unknown

Melhor roteiro original
• Parasita
O longa de Bong Joon Ho, o primeiro filme sul-coreano a receber uma indicação na categoria de Melhor Filme, recebeu a primeira estatueta da noite por roteiro original. Inteiramente escrito pelo diretor e por Jin Won Han, o filme é um dos mais fortes da temporada e também levou um Bafta pelo roteiro original.

Melhor roteiro adaptado
• Jojo Rabbit
Inspirado no livro Caging Skies, de Christine Leunens, o longa de Taika Waititi conta a história de Jojo, um garoto que, enquanto tem Hitler como seu amigo imaginário, precisa aprender a lidar com a adolescente judia que sua mãe está protegendo no sótão de sua casa. Essa é uma das seis indicações que o filme recebeu na premiação, incluindo Melhor Filme.

Melhor curta-metragem
• The Neighbors’ Window
Escrito e dirigido por Marshall Curry, o documentário “The Neighbor’s Window” conta a história de um casal de meia-idade que precisam conciliar a vida profissional com a vida familiar, enquanto cuidam de três filhos. Enquanto observam a vida de seus vizinhos pela janela, eles decidem que estão vivendo de forma errada. Além do Oscar, o curta recebeu 12 prêmios em festivais regionais dos Estados Unidos.

Melhor design de produção
• Era uma Vez em… Hollywood
Competindo com 1917, O Irlandês, Jojo Rabbit e Parasita, o filme de Tarantino recebeu a estatueta por melhor design de produção e decoração no set de filmagem. Como o prêmio abrange duas áreas, ambas as onais Barbara Ling e Nancy Haigh foram premiadas.

Melhor figurino
• Adoráveis Mulheres
Embora sem indicação na categoria de Melhor Direção, o longa de Greta Gerwig, que retoma a história escrita por Louisa May Alcott com um toque moderno, recebeu o prêmio de melhor figurino. Esse é o segundo prêmio da categoria entregue para a figurinista Jaqueline Durran, que também ganhou em 2013, quando foi responsável pelas roupas do filme “Anna Karenina”.

Melhor documentário
• Indústria Americana
Duplamente dirigido por Steven Bognar e Julia Reichert, o documentário que levou a estatueta para casa apresenta uma Ohio tentando lidar com o crescimento industrial – enquanto um chinês bilionário procura amplificar a região com sua própria empresa.

Melhor documentário em curta-metragem
• Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl)
Dirigido por Carol Dysinger, o curta conta a história de jovens afegãs que estão tentando realizar ações comuns para meninas de sua idade – como ler, escrever e andar de skate – em Cabul, uma cidade em situação de guerra localizada no Afeganistão.

Melhor atriz coadjuvante
• Laura Dern
Interpretando Nora Fanshaw, Laura Dern termina a temporada com saldo positivo: além do Oscar, a atriz também recebeu o prêmio de atriz coadjuvante em eventos como o SAG, o Critic’s Choice e o Globo de Ouro.

Melhor edição de som
• Ford v Ferrari
O primeiro prêmio do longa de James Mangold foi para Donald Sylvester, responsável pela edição de som. O filme conseguiu 4 indicações em 2020, incluindo a de Melhor Filme.

Melhor mixagem de som
• 1917
O segundo prêmio das categorias de som foi para 1917. Mark Taylor e Stuart Wilson, responsáveis pela edição de som, receberam as primeiras estatuetas da noite pelo filme.

Melhor edição
• Ford v Ferrari
Desbancando filmes como “Coringa” e “Parasita”, o segundo prêmio da noite para Ford v Ferrari foi de melhor edição. Essa é a primeira estatueta recebida pelos dois responsáveis pela edição, Michael McCusker e Andrew Buckland.

Melhor fotografia
• 1917
Com 14 indicações para a categoria, o diretor de fotografia Roger Deakins recebeu a segunda estatueta por 1917. Embora tenha sido indicado quase todos os anos desde 1995, Deakins só recebeu o primeiro prêmio em 2018, por “Blade Runner 2049”.

Melhores efeitos visuais
• 1917
O terceiro prêmio de “1917” foi para Guillaume Rocheron, Greg Butler e Dominic Tuohy, os responsáveis pelos efeitos visuais do filme.

Cabelo e maquiagem
• O Escândalo
Com três indicações na noite, esse foi o único prêmio para “O Escândalo”, longa protagonizado por Charlize Theron, Margot Robbie e Nicole Kidman e que conta a história das denúncias de assédio contra Roger Ailes, ex-chefe do canal Fox News. Kazu Hiro, Anne Morgan e Vivian Baker receberam a estatueta pela maquiagem do filme, que foi muito elogiada – especialmente a semelhança de Theron com Megyn Kelly, jornalista e antiga âncora da Fox.

Melhor filme estrangeiro
• Parasita
O segundo prêmio da noite para “Parasita” também era um dos mais esperados. O longa é o primeiro sul-coreano a vencer a categoria, fazendo assim história na premiação.

Melhor trilha sonora original
• Coringa
Responsável pela trilha sonora de “Coringa”, a musicista Hildur Guðnadóttir se destacou nas premiações e também recebeu um Globo de Ouro e um Bafta pelo seu trabalho.

Melhor canção original
• “(I’m Gonna) Love Me Again” – Rocketman
Com a única indicação da premiação, a cinebiografia musical de Elton John recebeu a estatueta por melhor música original. John subiu ao palco com Bernie Taupin, seu parceiro musical de longa data, para receber o prêmio.

Melhor diretor
• Bong Joon Ho -“Parasita”
O terceiro prêmio da noite para “Parasita” também fez história: Bong Joon Ho agora é o primeiro diretor coreano a ser premiado na categoria. Em seu discurso, ele elogiou a mudança de perspectiva dos organizadores do prêmio e declarou que a categoria é, de agora em diante, internacional.

Melhor ator
• Joaquin Phoenix
Recebendo sua primeira estatueta após 4 indicações, Joaquin Phoenix é o segundo ator a levar um dos principais prêmios da noite por interpretar Coringa – em 2009, Heath Ledger recebeu o prêmio de ator coadjuvante pela sua interpretação do personagem em “Batman: O Cavaleiro das Trevas”.

Melhor atriz
• Renée Zellweger
Com um retorno triunfal para os cinemas, Renée Zellweger recebeu sua segunda estatueta na categoria pelo papel de Judy Garland, a estrela de “O Mágico de Oz”, no filme “Judy”.

Melhor filme
• Parasita
Fazendo história no Oscar, o filme de Bong Joon Ho que apresenta um retrato duro sobre as relações sociais no capitalismo é o primeiro filme estrangeiro a vencer a categoria principal da noite.

Foto: Mario Anzuoni/Reuters
MSN/Exame

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial