Com 107 mortes pelo vírus, Itália fecha escolas e estádios de futebol

O aumento dos casos de coronavírus na Itália e a suspensão das peregrinações a Meca, cidade na Arábia Saudita considerada sagrada para os muçulmanos, são destaques desta quarta-feira (4). Na Itália, após mais de 3 mil casos e 107 mortes, as autoridades decidiram suspender as aulas até 15 de março e proibir a entrada do público em eventos esportivos.
Outro fato relevante desta quarta é que o número de mortos fora da China já é maior do que dentro do país onde surgiu a epidemia. Durante o dia, a Itália passou o Irã em número de casos confirmados e de mortes e é o país onde o coronavírus mais fez vítimas, (depois da China), com 3.089 pessoas infectadas e 107 mortos. O Irã chegou a 2.922 casos e 92 mortes.
Destaques desta quarta (4):
• Na Itália, o país mais atingido na Europa, o número de infectados chegou a 3.089, e o número de mortes subiu de 79 para 107 nesta quarta (4). O governo decidiu fechar escolas e universidades até 15 de março para tentar conter o vírus.
• Uma pesquisa preliminar feita na China aponta que há dois subtipos do Sars-CoV-2: o mais agressivo está associado a 70% das cepas analisadas, enquanto 30% estavam ligadas a um tipo menos agressivo.
• No Brasil, Ministério da Saúde investiga possível terceiro paciente com coronavírus em SP; caso foi para contraprova
• Até a terça-feira (3), segundo levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), 72 países haviam sido atingidos pelo coronavírus. A contagem não considera, ainda, a Polônia e a Hungria, que reportaram os primeiros casos nesta quarta.
• Na China, são 2.984 mortes (incluindo 2 em Hong Kong e 1 em Taiwan) e 80.422 casos confirmados.
• A Coreia do Sul, o país mais atingido fora da China, tem 5.621 casos confirmados e 33 mortes. Nas últimas 16 horas, foram identificadas 293 novas infecções, segundo a agência de notícias Yonhap. Médicos estão testando mais de 200 mil membros de um grupo religioso da cidade de Daegu, considerado o epicentro do surto no país.
• A França tem 257 casos confirmados e 4 mortes, segundo o jornal britânico “The Guardian”.
• A Hungria confirmou os dois primeiros casos da doença – dois estudantes iranianos no país, afirmou o premiê, Viktor Orbán, segundo a Reuters. Eles não têm sintomas, de acordo com Orbán.
• Na Índia, 15 cidadãos italianos testaram positivo para o vírus, segundo o “The Guardian”.
• Os Estados Unidos têm mais de 120 casos confirmados e nove mortes.
• O Irã registrou 92 mortes até esta quarta; e 2.922 casos confirmados. Um membro da OMS testou positivo para o vírus no país.
• Iraque anunciou a primeira morte pelo coronavírus.
• Pelo menos 9 países confirmaram os primeiros casos da doença nos últimos dois dias. Nesta quarta (4), a Polônia anunciou o primeiro caso. Na terça (3), Andorra, Arábia Saudita, Jordânia, Letônia, Marrocos, Portugal, Senegal e Tunísia entraram na lista de países atingidos, segundo o último boletim da OMS.
• Um funcionário da Agência Europeia de Defesa, com sede em Bruxelas, na Bélgica, foi diagnosticado com Covid-19. A pessoa havia voltado de uma viagem à Itália.

Eventos cancelados
• A Itália determinou que todos os principais eventos esportivos do país, incluindo os jogos de futebol, sejam disputados sem a presença de público.
• O medo do Covid-19 fez artistas ao redor do mundo cancelarem gravações, adiarem shows e gravarem alertas aos fãs.
• A Universal Pictures adiou para 12 de novembro a estreia mundial de “Sem tempo para morrer”, novo filme do agente James Bond. Fã-clubes do agente tinham escrito uma carta aberta pedindo adiamento por causa do novo coronavírus.
• O Japão cancelou a cerimônia que marcaria, no dia 11 de março, os 9 anos do terremoto e tsunami que causaram o acidente nuclear em Fukushima, matando mais de 18 mil pessoas.
• No Reino Unido, a Feira do Livro de Londres também foi cancelada.
• A Arábia Saudita suspendeu as peregrinações a Meca também para cidadãos sauditas. Na semana passada, o reino já havia suspendido as peregrinações para estrangeiros.
• A França pediu aos participantes que foram a um evento de quaresma evangélica que limitassem o contato social após 10 novas infecções pelo coronavírus serem diagnosticadas em quem esteve no local do evento – cerca de 2 mil pessoas participaram da cerimônia. Duas escolas frequentadas por crianças das famílias infectadas foram fechadas. O país tem mais de 200 casos confirmados de coronavírus e registrou a quarta morte pela doença na terça (3).

Pesquisas
• Na terça-feira (3), cientistas chineses anunciaram ter identificado dois tipos principais do vírus que podem estar causando as infecções. Segundo a pesquisa, um tipo mais agressivo do vírus, associado ao surto em Wuhan, apareceu em 70% das amostras analisadas, e as outras 30% tinham um tipo menos agressivo. Os especialistas alertaram, entretanto, que a análise foi feita com uma quantidade limitada de dados, e que outros estudos são necessários para entender melhor a evolução do vírus.
• Na segunda-feira (2), cientistas brasileiros já haviam conseguido identificar que o código genético do vírus nos dois pacientes infectados no Brasil era diferente.

Suprimentos
• A Alemanha proibiu nesta quarta a exportação de equipamentos de proteção médica para evitar a escassez de luvas, máscaras e trajes médicos.
• Na terça (3), o presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou o confisco de estoques e produção de máscaras protetoras na França, para priorizar trabalhadores de saúde e pessoas doentes. A OMS também alertou contra o mau uso de materiais de proteção.
• A República Tcheca baniu a venda de um certo tipo de máscaras médicas para qualquer pessoa exceto serviços de saúde e assistência social, órgãos de saúde pública, serviços de resgate de emergência e outros órgãos da administração pública, segundo a rede de TV americana CNN.
Foto: Matt Dunham/AP
G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial