Jovem que matou pai e madrasta é condenado a 44 anos de prisão

Após o júri popular realizado na tarde desta terça-feira (3), no Fórum Affonso Campos, o jovem Matheus Irineu, de 20 anos, foi condenado a 44 anos de prisão, inicialmente em regime fechado, por ter matado o pai e a namorada do pai em Campina Grande. O crime aconteceu em abril de 2018.
À época, o jovem, que tinha 18 anos, confessou o crime, afirmando ter matado o pai e a madrasta, no bairro da Ressurreição, na Zona Sul da cidade. O jovem foi condenado a cumprir 22 anos de prisão por cada homicídio praticado, somando as duas penas, a pena chega a 44 anos.

Defesa
De acordo com os advogados de defesa de Matheus Irineu, o jovem agiu por impulso, alegando ainda que o ato foi praticado para defender a própria mãe. Por ser réu confesso, os advogados buscaram apenas reduções nas penas de Matheus.
“Matheus se encontra preso desde o início do processo, onde ele mesmo se entregou. Não se trata de um fato costumeiro, mas sim de uma tragédia. Matheus agiu por impulso, sob violenta emoção. Existem outras teses e vamos trabalhar com essas teses”, disse Aldek Dantas, advogado de Matheus.

Acusação
Entretanto, o Ministério Público avaliou que a tese apontada pela defesa de Matheus era incompatível com a cena do crime, visto que o jovem efetuou cinco disparos, sem nenhum esboço de reação por parte das vítimas.
“As lesões sofridas pelas vítimas são incompatíveis com a legítima defesa, então não estamos tratando de de uma execução. Foram cinco disparos, dois na cabeça do pai, inclusive um pelas costas. E nela, de forma igual, com dois disparos nas mãos e braços e um terceiro na nuca. Então isso é incompatível com a tese da defesa”, relatou o promotor de justiça, Bertrand Asfora.
Portalcorreio

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial