Romero decide manter comércio fechado até o próximo dia 13 em Campina Grande

O prefeito Romero Rodrigues decidiu, após ter participado de uma vídeoconferência na manhã desta sexta-feira, 3, que pautou a manutenção das medidas restritivas às atividades econômicas, com destaque para o setor comercial, em Campina Grande, até o próximo dia 13. A decisão de Romero foi anunciada na reunião virtual, da qual participaram mais de 50 pessoas representantes das classes produtoras, dos trabalhadores, do Ministério Público (Estadual, Federal e do Trabalho), além de integrantes da equipe de auxiliares do prefeito e do secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros.
Em sua fala final na vídeoconferência, Romero acertou com o grupo uma nova reunião virtual na próxima quinta-feira, 9, justamente para avaliar mais uma vez o quadro e tentar criar o cenário ideal para uma possível retomada das atividades no comércio sob um rígido controle e pré-requisitos. E novamente será levado em conta todos os dados e estudos apresentados pelas autoridades médico-sanitárias do Município, do Brasil e do mundo.

Prioridades: saúde e vida
Desde suas primeiras exposições no debate, Romero Rodrigues foi enfático em relação ao extremo cuidado que ele precisa manter, como gestor público, cristão e cidadão, na preservação da saúde e vida das pessoas. Reafirmou que, desde o primeiro momento, sua prioridade foi de adotar medidas de impacto na cidade de isolamento social, embora reconheça as dificuldades sofridas por alguns setores produtivos, principalmente os pequenos negócios. Mas disse que não fugiria à responsabilidade de seguir as orientações técnico-científicas de sua equipe e da Organização Mundial da Saúde (OMS) e pediria a todos um pouco mais de sacrifício neste momento, já que os valores em jogo “não têm preço”.
O secretário Geraldo Medeiros fez também um apelo ao prefeito pela manutenção das medidas restritivas, alertando que os próximos 15 dias serão cruciais para que Campina Grande e a Paraíba continuem com um controle razoável da situação.

Alta representatividade
Do grupo de 50 pessoas integrantes da vídeoconferência, destacou-se o elevado grau de representatividade dos participantes. Integraram o debate online os presidentes Marcos Procópio (Associação Comercial), Artur Almeida (CDL), Helder Campos (Sinduscon), Érico Feitosa, do Sindicato de Habitação (Secovi), além do diretor Renato Lago, da FIEP. Como presidentes de sindicatos, integraram o debate José do Nascimento Coelho (Comerciários) e Giovanni Freire (Sintab). Por parte do Ministério Público Estadual, a promotora Adriana Amorim; os procuradores Marcela Asfora e Raulino Maracará, pelo MPT-PB e a procuradora Acácia Soares, do Ministério Público Federal.
Da equipe de Romero Rodrigues, tiveram participação na vídeoconferência os secretários Filipe Reul (Saúde), Tovar Correia Lima (Planejamento), Rosália Lucas (Desenvolvimento Econômico), Rivaldo Rodrigues (Procon), além dos adjuntos Raymundo Asfora Neto (Saúde) e Felipe Gadelha (Finanças) e do superintendente Félix Araújo Neto (STTP). O ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima também acompanhou o debate.
O infectologista Rodolpho Dantas, mais uma vez, fez uma exposição técnico-científica sobre o quadro sanitário em Campina Grande, sob a perspectiva do avanço do Covid-19 na cidade, alertando pela necessidade de não haver neste momento flexibilização nas medidas de isolamento social.
Em linhas gerais, dos integrantes da vídeoconferência, apenas o presidente da CDL, Artur Almeida – que defendeu a abertura sob controle do comércio de rua e a manutenção do fechamento temporário dos shoppings e galerias – e o empresário Renato Lago se posicionaram parcialmente contra a medida, mas terminaram por acatar a decisão da maioria em favor da manutenção do isolamento social por tempo determinado em Campina Grande.

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial