TERAPIA SEXUAL !!

Uma mulher chegou em casa e disse ao marido:
– Lembra as enxaquecas que eu costumava ter toda vez que íamos fazer amor? Estou curada! Não tenho mais dor de cabeça! Minha amiga Margaret me indicou um terapeuta que me hipnotizou! O médico me disse para ir para frente do espelho, me olhar bem e repetir para mim mesma:
Não tenho dor de cabeça!
Não tenho dor de cabeça!
Não tenho dor de cabeça!
Fiz isso e a dor de cabeça parece que sumiu!
O marido respondeu.
– Que maravilha!
Então a esposa disse:
– Nos últimos anos você não anda muito interessado em sexo! Por que você não vai a esse terapeuta e tenta ver se ele te ajuda a ter interesse por sexo novamente?
0 marido concordou, marcou uma consulta e alguns dias depois estava todo fogoso para uma noite de amor com a esposa.
Então foi correndo para a casa e entrou arrancando as roupas e arrastando a esposa para o quarto.
Colocou a mulher na cama e disse a ela:
– Não se mova que já volto!
Foi ao banheiro e voltou logo depois pulou na cama e fez amor de maneira muito apaixonado como nunca tinha feito com a esposa antes.
A esposa falou:
– Juca, foi maravilhoso!
Você nunca me deu tal prazer!
O marido disse novamente à esposa:
– Não saia daí que eu volto logo!
-Foi ao banheiro e a segunda vez foi muito melhor que a primeira.
A mulher sentou-se na cama a cabeça girando em êxtase com a experiência.
O marido disse outra vez:
– Não saia que eu volto logo!
Foi ao banheiro.
Desta vez a esposa foi silenciosamente atrás dele e quando chegou lá o marido olhava para o espelho e dizia:
– Não é minha esposa!
– Não é minha esposa!
– Não é minha esposa!

 

UM CLIENTE FOI A UM HOTEL E PERGUNTOU AO PROPRIETÁRIO:
– O quarto 33 está vazio?
O dono do hotel respondeu que sim, estava vazio e o cliente perguntou se poderia apenas reservar para uma noite. O dono respondeu que sim, mas antes de subir, o cliente fez um pedido ao proprietário:
– Uma faca preta e uma linha de seda branca de 33 cm de comprimento e uma laranja pesando 66 gramas.
O dono admirou-se pelos estranhos pedidos mas os providenciou. Por coincidência o quarto do dono do hotel ficava no andar debaixo do quarto 33 e depois da meia-noite ele escutou sons muito estranhos como se fossem animais, e vozes! Sentiram-se sons abafados de alguém batendo. De manhã e antes de o cliente sair o proprietário do hotel pediu para verificar o quarto, mas encontrou tudo impecável. O fio de seda e a faca preta na mesa, a laranja inteira, e tudo no lugar. O cliente pagou a conta da noite a dobrar e também deu mais gorjeta do que os outros clientes.
Passou-se um ano e o dono do hotel esqueceu-se do assunto. A 1 de março do ano seguinte ficou surpreso com o mesmo homem! Quando o viu, ele lembrou-se do que tinha acontecido no ano anterior. O cliente voltou a solicitar o quarto 33, uma faca negra, um fio de seda de 33 cm e uma laranja de 66 gramas. O dono do hotel decidiu ficar acordado para ver se descobria tal mistério. Após a meia-noite, começaram os mesmos sons que tinha ouvido no ano anterior, mas desta vez mais alto. Pela manhã o cliente saiu e pagou a conta a dobrar e deu uma boa gorjeta. O proprietário do hotel ficou ainda mais intrigado! E a escolha do quarto 33? E a faca preta? E o peso da laranja? E o comprimento da linha de seda?
Ao longo do ano ele esperou, ansioso, pelo mês de março. E na manhã do dia 1 de março, pelo terceiro ano consecutivo, lá apareceu o cliente e pediu as mesmas coisas. O dono do hotel ficou acordado, disposto a descobrir o mistério, mas sem resultados… os mesmos sons foram ouvidos sempre com maior intensidade. Pela manhã antes do cliente sair, quando veio pagar a conta, o dono do hotel disse que queria saber o que se passava. O cliente respondeu:
– Se eu lhe disser o segredo promete não contar a ninguém?
O proprietário do hotel disse:
– Eu prometo, não falo a ninguém, não importa o que me disser!
E de fato, o dono do hotel não contou a ninguém… ninguém, até hoje, sabe o que se passou.

 

JOÃOZINHO
O fazendeiro chega na beira do rio com sua criação de gado e pergunta para o Joãozinho:
– Este rio é fundo menino?
Joãozinho responde:
– Sei não, mas a criação de meu pai passa aí com água no peito.
Então o fazendeiro passa sua criação e lá pelo meio do rio todas as vacas se afogam.
Desesperado, ele pergunta para o menino:
– Seu pai cria o que filho da puta!?!
Joãozinho responde:
– Pato!!

 

FOI BOM
O cara chega em casa às 4h30, chapado e a mulher logo diz:
– A putaria foi boa, né?
Ele responde:
– Se você que nem foi gostou, imagina eu que tava lá.
O velório será às 17h.

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial