Morre aos 104 anos atriz de ‘E o Vento Levou’

Olivia de Havilland morreu aos 104 anos na noite desse sábado (25), em Paris, onde vivia há 60 anos. A notícia foi confirmada pela imprensa estrangeira. A equipe da atriz diz que ela morreu enquanto dormia.
Única lenda ainda viva do período clássico de Hollywood, ela ganhou dois óscares: um por Só Resta Uma Lágrima (1946) e Tarde Demais (1949). Além disso, foi indicada outras três vezes, por … E o Vento Levou (1939), A Porta de Ouro (1941) e Na Cova da Serpente (1948).
O início da carreira se dá com o longa Capitão Blood (1935), A Carga de Cavalaria Ligeira (1936) e As Aventuras de Robin Hood (1938).
Além de atriz, Olivia foi ativista pelos direitos dos profissionais de cinema. A partir de protestos encabeçados por ela, os atores de Hollywood puderam se ver livres da cláusula que permitia que os estúdios controlassem e definissem os papéis que os profissionais deveriam aceitar.
Em 1943, ela entrou na Justiça contra a Warner Bros. para romper um contrato que impedia que ela atuasse em outros estúdios e produtoras. A vitória resultou no que é conhecido hoje como a Lei de Havilland.

Famíla
Discreta, Olivia não teve uma carreira de grandes polêmicas. Casada por duas vezes e mãe de Gisele e Benjamin (morto em 1990), essa parte da vida da atriz gerou mais comentários por conta da relação que ela mantinha com a irmã, a também atriz Joan Fontaine.
Quando estavam no auge, as duas não se davam tão bem e até agiam como rivais no mercado de cinema, para espanto dos fãs.
Além disso, em 2017, um dia antes de seu 101º aniversário, De Havilland entrou com uma ação judicial contra a série Feud, pelo uso indevido da sua imagem, invasão de privacidade, enriquecimento ilícito e danos morais. O processo afirma que Feud, seguindo uma linha de pseudo-documentário, leva o público a acreditar que as declarações ditas pela De Havilland interpretada por Catherine Zeta-Jones, na série, são verdadeiras, mas, na vida real, De Havilland não teria declarado quaisquer destas informações.

Últimos anos
Olivia atuou até 1988, trabalhando na série Anastácia: O Mistério de Ana, na qual ganhou o Emmy e um Globo de Ouro, e colocando ponto final na trajetória com o telefilme O Maior Romance do Século. Desde então, viveu fixamente em Paris, na França.
Foto: Reuters
R7

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial