Aritana, líder do Alto Xingu, morre com Covid-19 em hospital de Goiânia

Líder do Alto Xingu, Aritana Yawalapiti, de 71 anos, morreu vítima da Covid-19 nesta quarta-feira (5), em Goiânia. A informação foi confirmada ao G1 MT, por telefone, pela assessoria de imprensa do Hospital São Francisco.
Aritana estava em casa com a família quando começou a sentir os primeiros sintomas. O líder fez o teste para Covid-19, que acusou que ele estava infectado.
No final de semana dos dias 18 e 19 de julho, ele foi internado em uma UTI em Canarana, a 838 km de Cuiabá. Dias depois, Aritana foi transferido para continuar o tratamento em Goiânia.
O líde ficou cerca de duas semanas lutando contra a doença na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Francisco, respirando com ajuda de aparelhos. Na unidade, o estado dele chegou a passar de grave para gravíssimo no dia 29 de julho.

Liderança indígena
Aritana Yawalapiti assumiu a liderança do Alto Xingu por volta 1980. Desde então, ele é reconhecido por lutar pela defesa dos povos indígenas, principalmente pela preservação das terras já conquistadas.
Cacique desde os 19 anos, ele era um dos mais antigos e respeitados líderes da região.
Nas redes sociais, muitos representantes indígenas e instituições falaram da falta que Aritana fará a todos. Nas mensagens, eles exaltam a luta dos povos indígenas e como o cacique sempre fez parte dela.
Segundo as publicações em homenagem a Aritana, novas lideranças devem surgir inspiradas na sabedoria dos ensinamentos de anciãos como ele.
Entre as mensagens em honra à vida e história de Aritana, está a escrita nas redes sociais do neto do cacique Raoni Metuktire, Patxon Metuktire:
“Quando morre um cacique, a comunidade perde um líder. Quando morre um mestre e um ancião, é um livro cheio de informações que se fecha para sempre”.
Foto: Antônio Carlos Banavita
G1

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial