Elza Soares e Zeca Baleiro gravam faixas inéditas de Adoniran Barbosa

Nesta quinta-feira (6), Adoniran Barbosa completaria 110 anos de estivesse vivo. Para celebrar a data, foram lançadas no Spotify 11 músicas inéditas do compositor paulistano, gravadas por artistas de diversos gêneros e gerações.
A playlist intitulada Onze conta com as participações de Elza Soares, Zeca Baleiro, Di Melo, a banda Francisco El Hombre, entre outros (veja lista completa abaixo).
O projeto foi idealizado pela Eisenbahn, em parceria com a SUNO United Creators. Quem assina a produção musical é a DaHouse Audio sob curadoria do Coala Lab, núcleo de música e projetos do Coala Festival.
Lucas Mayer, produtor do disco, explica para o R7 como foram encontradas as faixas surpreendentes de Onze. “Em 2015, produzi a trilha sonora de um curta-metragem ficcional sobre Adoniran Barbosa e fiquei sabendo da existência de partituras inéditas na antiga gravadora Corisco. E, quatro anos depois, surgiu a ideia de produzir esse álbum, durante um encontro com publicitários.”
Lucas fala da importância de Adoniran para a cultura brasileira. “Ele foi um marco do samba paulistano. Com o compositor, surgiu um estilo de linguagem, com suingue adiantado para a cadência do samba, seus erros propositais de português e o charme na forma de cantar sobre o cotidiano em São Paulo.”
Elza Soares, que acaba de completar 90 anos, soltou o vozeirão em Vaso Quebrado. Ela destaca que é necessário celebrar os artistas brasileiros. “A gente precisa lembrar dessas pessoas que foram importantes para nossa cultura. E o Adoniram foi um grande compositor, além de ator. Gostei muito de participar desse trabalho.”
Já Zeca Baleiro revela como foi a experiência de registrar a faixa Bares da Vida. “É uma grande honra e ‘responsa’ cantar uma composição inédita dele. Para gravar, me inspirei na malandragem paulistana típica das interpretações do Adoniran e dos Demônios da Garoa, que foram os grandes intérpretes de sua obra.”
Baleiro finaliza exaltando o repertório atemporal e sem rótulos de Adoniran, que morreu em 1982. “Sua obra é eterna, continua fresca e atual. E Adoniran é uma influência para qualquer músico… Até para quem faz rock (risos). Seus sambas já estão entronizados no imaginário popular brasileiro. É um gênio.”

Confira as faixas de Onze:
1 – Bares da Vida – Zeca Baleiro (Adoniran Barbosa e Maestro Portinho, 1979)
2 – Careca Velha – Di Melo (Adoniran Barbosa e Oswaldo Guilherme, 1961)
3 – Como era Bom – Illy (Adoniran Barbosa e Sulino, 1972)
4 – Bolso de Fora – Rubel (Adoniran Barbosa e Francisco Nepomuceno, 1978)
5 – A Partida – AVUÀ (Adoniran Barbosa e Alcyr Pires Vermelho, 1965)
6 – De Baixo da Ponte – Barro (Adoniran Barbosa e Sidney Morais, 1965)
7 – Vaso Quebrado – Elza Soares (Adoniran Barbosa e Osvaldo Guilherme, 1965)
8 – Feira Livre – Amanda Pacífico (Adoniran Barbosa e Walter Santos, 1980)
9 – Bebemorando – Francisco El Hombre (Adoniran Barbosa e Wilma Camargo, 1965)
10 – Dias de Festa – Luê (Adoniran Barbosa e Annita Salles, 1968)
11 – A Escola – Zé Ibarra (Adoniran Barbosa e José Toledo, 1977)

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial