Em cesariana com duas horas de duração, cachorra ‘vira-lata’ dá à luz 16 filhotes em clínica veterinária

O que parecia ser uma cesariana comum se transformou no parto mais surpreendente da carreira da médica veterinária Bruna Katrine Scaione, em Indiana (SP). A cadela sem raça definida, designação também chamada popularmente de “vira-lata”, foi levada para a clínica veterinária nesta quarta-feira (12) e a profissional ajudou no nascimento de 16 cachorrinhos. Mãe e filhotes estão bem.
Bruna contou que a dona, que pediu para não ser identificada e que também não permitiu a divulgação da imagem da cadela, relatou que a cachorra estava em trabalho de parto. A veterinária fez o encaminhamento para uma outra clínica para que fosse feito um exame de ultrassom.
“A veterinária Luiza Moreno disse que tinham vários filhotes, que nem dava para contar direito. Mas imaginamos que seriam uns dez”, relatou Bruna ao G1.
A aparência da mamãe também causou espanto pelo tamanho da barriga. “Parecia a barriga de uma mulher grávida de uns oito, nove meses, de tão grande”, brincou.
A cirurgia durou cerca de duas horas. “Foi cansativo. Foi a cirurgia mais cansativa que eu fiz em dez anos. A fêmea tem um porte médio, a gente esperava uns dez filhotes, no máximo 11. O útero ficou enorme, parecia não ter fim”, falou Bruna.
A cirurgia foi feita junto com a veterinária Rafaela Tavares e mais dois auxiliares. “Foi um parto bem atípico. Nunca fiquei sabendo na região do nascimento de 16 filhotes”, destacou ao G1.
Bruna também explicou que não tem um motivo aparente para uma fêmea ter parido tantos filhotes, mas pode ser algo relacionado à genética. “Não sei muito sobre o histórico da cachorra. Pode ser algo genético, a mãe dela pode ter sido uma boa parideira também”, salientou.
Nasceram oito machos e oito fêmeas, quase todos do mesmo tamanho, pesando entre 200 e 250 gramas.
“Pela quantidade, a cachorra não teria parido sozinha. Ela poderia não ter contração porque a barriga estava muito pesada”, afirmou a veterinária.
A mamãe e os filhotinhos já receberam alta. Como a cadela não tem leite, os cachorrinhos vão ser alimentados com suplemento.
“Geralmente, em uma ninhada grande, acontece de ter perdas. Porém, todos estão bem. A mãe também vai ser tratada com bastante vitamina e suplemento para aumentar a quantidade de leite”, frisou.
Assim que ela postou nas redes sociais a foto dos filhotes enfileirados, começou a receber vários comentários.
“Todo mundo ficou perplexo. Muitos me perguntavam se era de uma cachorra só. É algo muito diferente. Foi emocionante e gratificante também”, finalizou ao G1.

Foto: Bruna Katrine Scaione
G1

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial