Teste na Alemanha aponta que Navalny, um opositor de Vladimir Putin, foi envenenado com novichok

O opositor russo Alexei Navalny, hospitalizado em Berlim, foi envenenado com uma substância do tipo novichok, informou nesta quarta-feira (2) o governo da Alemanha.
Testes toxicológicos de amostras de sangue de Navalny foram feitos em um laboratório militar alemão. Eles evidenciam, sem possibilidade de equívoco, que houve envenenamento, de acordo com Steffen Seibert, o porta-voz do governo alemão.
“O governo federal vai notificar os resultados da investigação a seus parceiros na União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte e discutir uma resposta em conjunto”, afirmou Seibert.
Novichok significa “novato” em russo. É um grupo de substâncias neurotóxicas desenvolvidas pela União Soviética nas décadas de 1970 e 1980.
Alguns dos venenos desse grupos, como o A-230, são considerados mais tóxico do que agentes como o VX ou o sarin, e são mais difíceis de serem identificados.
Um porta-voz do governo da Rússia disse que a Alemanha não informou aos russos o resultado do exame de toxicologia.
O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, pediu à Rússia uma investigação sobre o envenenamento. “É urgente a identificação e responsabilização dos responsáveis na Rússia. Nós condenamos esse ataque nos termos mais severos.”

Outro opositor envenenado com novichok
Não é a primeira vez que um opositor russo é envenenado com novichok. Em março de 2018, o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia, foram encontrados inconscientes em um parque na Inglaterra.
Posteriormente, soube-se que eles haviam sido envenenados com a sustância. Os dois sobreviveram. A Rússia negou estar por trás desse incidente.
Skripal é um ex-espião russo que, segundo Moscou, repassou nomes de agentes soviéticos trabalhando no Ocidente à MI6, agência de espionagem britânica. Ele foi condenado a 13 anos de prisão na Rússia em 2006, mas foi libertado em um acordo de troca de agentes em 2010.

O caso Navalny
O ativista anticorrupção se sentiu mal e perdeu a consciência a bordo de um avião que ia a Moscou em 20 de agosto, o que obrigou o piloto a fazer um pouso de emergência na cidade de Omsk, na Sibéria. Ele foi internado lá.
Um médico do hospital russo chegou a afirmar que nenhum veneno foi encontrado no corpo de Navalny. Seus assistentes e familiares não acreditam. Para eles, o opositor foi vítima de um envenenamento intencional por causa da sua atividade política, ao tomar um chá no aeroporto.
O político chegou a estar em coma. Ele foi transferido da Rússia para um hospital de Berlim em agosto, em estado estável.
A ambulância que o transportou foi escoltada pela polícia alemã desde o aeroporto de Berlim até o hospital da Charité, um dos mais prestigiados da Europa, segundo constataram repórteres da AFP.
Foto: Pavel Golovkin/AP
G1

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial