Dieta enteral: manual para cuidadores de pacientes é lançado. Baixe grátis

Qual a maneira correta de inserir a nutrição enteral domiciliar no dia a dia? Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) elaborou um manual de orientação para cuidadores de pacientes que dependem da dieta enteral domiciliar e, assim,  auxiliar quem precisa se adaptar a este novo momento na vida.

Usando textos e imagens ilustrativas, o manual oferece dicas para a correta higienização e administração da dieta e de água, receitas e modos de preparo, com o objetivo de promover uma melhor qualidade na educação em relação à saúde, considerando toda a relevância da participação do cuidador no processo saúde-doença.

A nutrição enteral é definida como todo alimento que é dedicado para fins especiais, com ingestão controlada de nutrientes. Este tipo de dieta é formulado para uso por sondas ou via oral para substituir ou complementar a alimentação de pacientes conforme que apresentam necessidades nutricionais específicas.

Nutrição enteral domiciliar e industrializada

Para saciar as necessidades nutricionais é necessário que a nutrição enteral seja produzida artesanalmente ou adquirida em lojas especializadas. A dieta caseira deve ser feita com alimentos in natura, e contar com legumes, hortaliças, carnes e frutas, liquidificados e peneirados para que fiquem líquidos, além do acréscimo de produtos nutricionais.

A dieta caseira ou domiciliar é mais acessível, mas pode apresentar riscos de contaminação microbiológica e perda de nutrientes pelo processamento. O manual auxilia na introdução dessa alimentação e traz técnicas que podem ser usadas tanto para o preparo domiciliar quanto auxílio à ingestão da dieta pronta.

Para quem a dieta enteral é indicada?

Por ser uma dieta líquida, com nutrientes controlados, a dieta enteral é recomendada para casos em que há dificuldade para engolir, como em situações de acidente vascular cerebral (AVC), mal de Alzheimer, doenças neurológicas, tumores e condições que necessitem de repouso devido a cirurgias feitas na cabeça, pescoço, esôfago e estômago, por exemplo.

Além disso, a nutrição enteral também é indicada para pacientes que dependem de maior atenção ao estado nutritivo, como a manutenção de calorias, por exemplo. Nesses casos, a dieta enteral indicada é a Dieta Padrão 1.0, ou seja, cada caso e cada paciente revela uma necessidade e uma aplicação específica.

O material da UFSCar está disponível no site da Universidade e também será entregue aos cuidadores de pacientes internados nas enfermarias e no Pronto Atendimento do Hospital Universitário (HU). Você pode conhecer o manual na UFSCar, na íntegra, CLICANDO AQUI:

 

 

 

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial