uermerson

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Toda cidade tem as suas carências no campo da infraestrutura social que tornam-se solúveis a partir da realização de obras, tais como:

– Construção de redes para água, esgoto e iluminação pública;
– Escolas com professores, salas equipadas, laboratório de informática, quadra poliesportiva, área livre para lazer diversos e estacionamento.
– Bibliotecas com livros atualizados e bibliotecários;
– Centro para a promoção da cultura ou teatro municipal com sala de ensaio, som, luz, camarim, equipe técnica e estacionamento;
– Calçamento, pavimentação asfáltica, sinalização das vias urbanas;
– Hospital municipal devidamente aparelho com atendimento de urgência e emergência, enfermaria, internamento, maternidade, cirurgia de baixa e média complexidade. O mesmo aplicável aos postos de saúde instalados na sede do município e nas zonas rurais com médicos, medicamentos, suprimentos para procedimentos de saúde e higiene;
– Viabilizar apoio para oferecer segurança pública com a garantia de policiamento viaturas de forma frequente;
– E muitos mais.

Todos estes aspectos fazem parte do composto que gera infraestrutura para a elevação da qualidade de vida dos cidadãos.

Para tanto, quando um serviço público é entregue a população há variáveis a serem analisadas. Mesmo porque são obras postas nas mãos da população das mais diversas formas com ou sem inauguração, acabada ou a concluir. Em alguns casos, quando concluídas há pendências em função do material com péssima qualidade, entre outros.

Só os grandes líderes, os visionários e comprometidos consigo e com a sua carreira perante a opinião pública, conseguem enxergar na pesquisa de satisfação uma verdadeira oportunidade real e tangível para o reposicionamento da sua gestão. Veja: Antes de comprar um presente para o tradicional “amigo oculto”, você não procurar saber dos seus gostos? Não faz uma sondagem antes sobre as suas necessidades e desejos? Muito bem, você está realizando uma pesquisa de satisfação, no sentido de entregar um presente que este amigo se sinta realizado.

Para você entender melhor a utilização desta ferramenta estratégica de gestão eficaz é importante saber que existem critérios para a sua plena execução. Para tanto, antes de materializar todas as ações que visam gerar respostas diante das necessidades dos munícipes deve-se levar em consideração respeitosamente a existência de cinco fases fundamentais:

1ª. Preparação da campanha;
2ª. Reconhecimento da realidade;
3ª. Diagnósticos e realização de relatório;
4ª. Elaboração do cronograma e plano de ação;
5ª. Execução de ações sistemáticas até o fim do mandato.

Atente-se agora ao detalhamento de cada uma:

PRIMEIRA: Preparação da campanha
– Esta é a fase em que se realiza o chamado serviço administrativo ou planejamento, um árduo trabalho que envolve a elaboração e revisão do questionário, dimensionamento da quantidade de questionários a serem aplicados na cidade, ou seja, tamanho da amostra, tamanho da equipe, logística de transporte, alimentação e hospedagem. A ser considerado também a mapeamento e roteirização de cidade.

SEGUNDA: Reconhecimento da realidade
– Mão na massa, eis a hora de entrar em campo com toda equipe tática para a execução da pesquisa de opinião “porta em porta”. Ela deverá ser realizada através de pessoas devidamente treinada, hábeis para entrevistar de forma especialista, discreta e imparcial, características fundamentais para que todas as informações sejam coletadas com perícia, segurança e garanta o sucesso com excelência.

Vale acrescentar que o crescimento do número de habitantes numa determinada localidade normalmente traz alguns desafios associados, entre eles a vulnerabilidade social. Para tanto, tais desafios na maioria das vezes se originam num passado tão remoto que a prefeitura não tem como identificar causa e solução numa simples roda de bate papo.

Por esta lógica se percebe que a pesquisa de opinião com ênfase para a satisfação dos serviços e a própria gestão pública deveria ser realizada periodicamente, entretanto, a maioria não realizam. As pesquisas deveriam ser realizadas pelo menos, a cada dois meses, ou seja, seis ao ano – E de acordo com o interesse da prefeitura executar por seguimentos de atuação em que a prefeitura opera (por rodízios de secretárias).

TERCEIRA: Diagnósticos e realização de relatório.
– Após a realização da pesquisa de campo por domicílio, todas os dados coletados deverão ser processados e transformados em informações estratégicas. Esta operação ocorre no centro de gerenciamento da pesquisa, certamente, pelos mesmos responsáveis pela concepção e montagem do trabalho. Daí, o gerado por desdobramento o tão esperado RELATÓRIO. Em alguns casos, apresentam sugestões dos primeiros passos rumo PLANO DE AÇÃO.
QUARTA: Elaboração do cronograma e plano de ação.
– O cronograma será o caminho por onde serão conduzidas todas as estratégias, táticas e ações previamente definidas na primeira fase – a preparação da campanha. Já o plano de ação é a apresentação da ordem de execução de cada uma das atividades dirigida ao público alvo.

QUINTA: Execução de ações sistemáticas até o fim do mandato.
– Hora de colocar a mão na massa e executar tudo o que foi planejado até o último minuto do mandato. Ressalta-se que este é o momento de assumir o controle de todos as fases de materialização das obras para a cidade, vigilância referente aos tipos de materiais a serem utilizados, evitando se tornar alvo de duras críticas por parte da população e seus adversários em caráter de oposição partidária.

Zele pela boa manutenção da sua reputação e imagem pois, todas as vezes que um gestor público promete ou assume um compromisso com o povo é motivo de piada por algum seguimento da população, não faça parte desta estatística. Sabe-se que não como agradar a todos, mas evite problemas futuros, se precisa de ajudar, busque agora mesmo, o secretário do seu governo deve destinar as suas atenções as obrigações da sua secretaria e não para acumular um trabalho tão complexo quanto este, pesquisa estratégica para a qualificação da gestão pública.

Há outros objetivos de pesquisa que podem ser dirigidas ao Legislativo, realizam-se avaliações da Casa Legislativa ou de Mandatos Individuais. Estes estudos podem ser gerais ou setorizados seus outros objetivos pode ser eleitoral (mensurar intenções de votos, satisfação e rejeição referente ao nome deste ou daquele candidato) ou para a qualificação da gestão pública no curso do seu mandado, para o qual este trabalho foi direcionado.
Uemerson Florêncio – Diretor da Khalifa Business, empresa que atuo com reposicionamento de pessoas, negócios e Desenvolvimento de Cidades. Coordenador do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Cidades (NPDC). Área de concentração acadêmica Relações Públicas com marketing pela Universidade Católica do Salvador – UCSAL e pesquisador em Relações Públicas pela Universidade Salvador – UNIFACS. Faz estudos de Cultura Árabe – a partir de Dubai e Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos país localizado no mar do Golfo, no Oriente Médio. Escreve para diversas editorais no Brasil nas áreas de: Relações Públicas, comunicação, gestão de carreiras, empreendedorismo e gestão em marketing político. É também correspondente internacional para: Portugal, Angola, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Moçambique.

Na rede: www.facebook.com/khalifa.florencio

 

 

Últimas Colunas